Mobilidade urbana: possível tema do Enem 2018, saiba discutir

Roberta Rinaldi Dicas de Redação

Muito comum em épocas de eleição, as propostas para solucionar o caos no trânsito das grandes metrópoles estão constantemente em pauta. A capital de São Paulo, por exemplo, quebra sucessivos recordes de congestionamento, que chegam a extensões correspondentes a viagens intermunicipais. Neste post, iremos discutir sobre o assunto para que você tenha um repertório de argumentos e informações relevantes para usar na redação caso esse provável tema seja cobrado no Enem 2018. Confira! 🙂

Supervalorização do carro próprio

O veículo próprio é considerado um símbolo de status na sociedade. É a chamada “cultura do carro”, que foi fortemente estimulada no século XX a partir da construção expansiva de vias de tráfego, à medida em que as cidades iam se desenvolvendo. Nem sempre foi fácil para todo cidadão ter um carro. Hoje, porém, com a disponibilidade de crédito e o aumento do poder aquisitivo, cada vez mais pessoas têm a oportunidade de adquirir o veículo particular, e este passou a ser, inclusive, um objetivo de muitos. Trata-se de uma situação cultural, que tem corroborado expressivamente para o problema de mobilidade urbana em várias cidades.

Alguns dos problemas que podem ser causados pelo excesso de veículos:  

  1. Congestionamentos;
  2. Poluição sonora, devido às buzinas;
  3. Emissão de gases de efeito estufa, o que contribui para aumento do aquecimento global;
  4. Sedentarismo;
  5. Estresse, pelo tempo diário no trânsito;
  6. Acidentes.

Transporte público ineficiente

 Uma das razões para o desejo permanente dos cidadãos em adquirir um veículo pessoal diz respeito ao transporte público ineficiente. Em países desenvolvidos, as classes sociais não se diferem pelo uso dos coletivos. Pelo contrário, um sinônimo de riqueza da nação é justamente a possibilidade de deslocamento por meio de um transporte coletivo que ofereça um serviço em perfeitas condições.

Apesar da intensa movimentação de pessoas nos centros urbanos, o empreendimento na melhoria dos transportes coletivos não aconteceu de forma tão expressiva em muitos lugares. Além disso, a privatização desse serviço contribuiu para o sucateamento do serviço, já que as empresas responsáveis visam o lucro em detrimento da qualidade. A consequência é o oferecimento de um serviço caro e ineficaz.

Alguns dos fatores que afastam as pessoas do uso de transporte público são:

  • Atrasos dos coletivos, o que compromete e atrapalha o compromisso das pessoas;
  • Insegurança e violência nos ônibus, que frequentemente são assaltados e, até mesmo, incendiados;
  • Por fim, superlotação. Afinal, o fluxo de pessoas é muito maior do que o número de coletivos nas vias.

Importante pensar

Discutir sobre transporte público é importante para pesar a necessidade de investimento na área. Afinal, se pensarmos em gasto energético, capacidade de deslocamento e quantidade de passageiros, é viável econômica e ecologicamente falando aprimorar o sistema de deslocamento urbano.

Acessibilidade para todos?

Mobilidade não diz respeito apenas aos transportes veiculares, mas também em relação à acessibilidade das vias públicas, como ruas e avenidas, com calçadas bem construídas, pavimentadas e que atendam às limitações físicas de pessoas com deficiências também.

Medidas para melhorar a mobilidade urbana

Para transformar a realidade caótica do trânsito das grandes metrópoles, medidas vêm sendo pensadas e efetivadas no meio urbano. Veja algumas:

  • Faixas exclusivas para ônibus

Para otimizar o tempo de deslocamento dos coletivos e driblar o fluxo intenso de carros. Em Belo Horizonte, Minas Gerais, os corredores exclusivos para os ônibus chamados de MOVE contribuíram para a melhoria do trânsito nas principais avenidas da cidade.

  • Ciclovias

As ciclovias são criadas para a circulação exclusiva de pessoas utilizando bicicletas, com o propósito de garantir maior segurança ao ciclista e estimular, com isso, mais pessoas a utilizarem esse meio de locomoção.

  • Rodízios de veículos

No estado de São Paulo, foi instaurada uma lei de rodízio de veículos conforme o número de suas placas. Dessa forma, nos dias em que o cidadão é impossibilitado pela lei de transitar pela cidade com seu veículo, ele deve buscar alternativas, como o transporte público ou as caronas solidárias.

  • Carona solidária

Estas são combinadas entre os colegas de trabalho, vizinhos e familiares, com o propósito de ocupação total de um veículo, ao invés de uma pessoa por automóvel.

  • Redução da velocidade permitida nas vias

Reduzir o limite de velocidade em vias de trânsito intenso ajuda a aumentar a velocidade média, contribuindo para a melhor fluidez do deslocamento dos veículos. Esta é uma tendência global para a melhoria da mobilidade do trânsito, e foi uma medida adotada em São Paulo em julho de 2015.

Documentários sobre mobilidade urbana  

  • Bikes vs Cars (2015)  

Sinopse: Em tempos de uma crise generalizada, é necessário relacionar algumas discussões no que tange ao clima, recursos naturais e cidades. A indústria automobilística cresce desenfreadamente. Ciclistas militantes buscam mudanças radicais na mobilidade das grandes cidades. As diferenças no uso de bicicletas e de carros são gritantes em comparação entre algumas cidades, como São Paulo e Copenhague.

  • Perrengue – O desafio da mobilidade em São Paulo (2013)  

Sinopse: Perrengue nasce da indignação com o problema que virou marca registrada da cidade de São Paulo: o trânsito. No documentário, quatro personagens de pontos distintos da região metropolitana apresentam os próprios dramas diários. Superlotação, estresse e perda de tempo. Além da rotina de uma cidade em plena crise de mobilidade, Perrengue discute a formação da metrópole, o papel do carro no planejamento urbano das grandes cidades brasileiras e os interesses por trás da promoção de um modelo de transporte insustentável.

  • Vida de Pedestre em Salvador (2012)

 Sinopse: Documentário que busca mostrar as más condições que são oferecidas pelo poder público da Cidade de Salvador à população que se desloca a pé e às pessoas com deficiência física. São vários depoimentos de pessoas que usam o espaço público diariamente e sabem das demandas dos pedestres nas grandes cidades do Brasil, mas não sabem como reivindicar as políticas públicas específicas.

Gostou? Que tal usar essas informações para treinar nosso tema sobre mobilidade urbana? Ele está em nossa lista de 6 possíveis temas para a redação do Enem 2018, confira AQUI.

Depois de produzir, envie seu texto para a correção; o feedback sobre a escrita é importante para aperfeiçoar a redação e fazer de você um aluno nota 1000!

Até a próxima 😉

SISTEMA PRISIONAL BRASILEIRO: POSSÍVEL TEMA DO ENEM 2018, SAIBA DISCUTIR

Vamos debater sobre?