O que o corretor freelancer deve avaliar na proposta de intervenção?

Rodrigo de Oliveira Dicas para corretor de redação

Este post é dedicado, especialmente, ao corretor freelancer para esclarecer quanto aos critérios importantes que avaliarão a proposta de intervenção feita pelos alunos para o texto do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Embora tenha o mesmo peso das outras cinco competências, atender aos requisitos dos avaliadores nesse quesito é a maior dificuldade para os candidatos. Para comprovar isso, basta notar que, em 2013, a pontuação média dos alunos nessa competência foi de 66.9, de um total dos 200 pontos possíveis de serem alcançados. Isso reforça a preocupação que o corretor freelance precisam ter ao avaliar o texto de um candidato ao ENEM.

Para saber exatamente o que se espera dos inscritos na prova de redação, vale a pena alinhar-se aos critérios que os avaliadores vão exigir dos candidatos que fizerem a prova. Nós preparamos um post específico sobre o assunto, que detalha os critérios que incluem cada uma das cinco competências do ENEM – cada uma com peso de 200 pontos. O item referente à proposta de intervenção é o quinto e pode ser acessado clicando aqui. Nesse quesito, é esperado que o estudante elabore uma proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural.

Embora pareça simples, há questões para as quais os estudantes não se atentam e que acabam prejudicando o seu desempenho. A melhor forma de desenvolvê-los nisso é fomentando a prática de texto e, por consequência, o feedback a eles dado pelo corretor freelancer. Para ajudar nisso, listamos quatro recomendações que podem ajudar o corretor a sinalizar os desafios que os alunos precisam superar para conquistar os 200 pontos nessa competência:

Cuidado com propostas muito genéricas: Para uma proposta de intervenção que atenda aos critérios dos avaliadores, é importante que ela não seja muito abrangente ou genérica. Nesse sentido, podemos incentivar que os alunos não pensem apenas em propostas de grande escala (exemplo: devemos ter políticas públicas mundiais para regulamentar o problema exposto). Afinal de contas, uma mudança ocorre também a partir da modificação de atitudes de cada indivíduo. Nesse caso, podemos instruir os alunos a trazerem para sua proposta de intervenção soluções que contemplem duas instâncias: individual, que inclua atitudes que podem ser incorporadas de imediato pelos cidadãos; e global, que compreenda ações de nível político e legislativo.

 

  • Viabilidade da proposta de intervenção: outro aspecto que podemos sinalizar aos alunos, diz respeito quanto ao detalhamento dela. É necessário que o candidato explicite os meios necessários para a execução da sugestão dada. Se ele propuser, por exemplo, a implantação de políticas públicas para garantir a universalidade do ensino, é necessário que ele mencione: como isso será feito (uma lei nacional/ um acordo entre países na ONU); com isso pode ser financiado (verbas públicas/ incentivo a empresas); de quem será a responsabilidade de acompanhar isso, etc. Sinalize aos alunos para que eles elaborem suas propostas respondendo a questões: O quê? Quem fará? Como? Que meios serão utilizados? Obviamente, que serão se espera um detalhamento técnico, mas é necessária que a ideia seja viável e não inatingível.
  • Respeito aos valores dos Direitos Humanos: dos candidatos que fizeram a prova de redação em 2014, 955 dos textos foram anulados por ferirem os direitos humanos. Esse é um aspecto para o qual o corretor pode chamar atenção, apontando ocorrências que evidenciem o desrespeito aos direitos humanos. Embora seja cobrado em todo o texto essa postura, a maior parte das ocorrências está ligada à proposta de intervenção; é quando o candidato, em algumas vezes por falta de repertório sociocultural, acaba de exaltando e propõe medidas intransigentes e que vão de encontro com os valores de cidadania – um dos princípios da prova do ENEM. Incentive o aluno a procurar e a compreender os diferentes pontos de vista para o tema elencado. Ao sinalizar essa busca em um feedback no texto, ajudará a ter mais atenção em próximas produções.
  • Direcione para que a proposta de intervenção esteja no fim do texto: embora não seja cobrado, nem obrigatórios nos itens do ENEM, o mais recomendado é que a proposta de intervenção esteja na conclusão do texto. Afinal de contas, ao trazer em outros momentos, o aluno assume um risco de não conseguir conectar bem as partes e pode se estender demais. Até porque a proposta de intervenção funciona muito bem como conclusão do texto, uma vez que ela deverá responder a um conflito proposto no tema.

 

Ao avaliar a proposta de intervenção dos alunos, contemple os aspectos acima mencionados e sinalize claramente caso esteja em falta em alguns dos itens. Vale a pena dedicar atenção especial a essa competência, uma vez que esse critério é o que os alunos possuem maior dificuldade de cumprir (pelas exigências dela). É fundamental, ainda, que incentive o aluno a aprofundar seu repertório sociocultural, a partir de leituras e conhecimento de informações de cidadania e atualidades – recursos que os auxiliará no cumprimento desse item.

Esperamos que esse conteúdo tenha ajudado a você! Fique à vontade para compartilhar nos comentários abaixo outras evidências que podem contribuir para outro professor ou corretor freelancer nessa missão. Até a próxima!

Vamos debater sobre?