Prova de redação do ENEM: os motivos para zerar

Rodrigo de Oliveira Dicas para corretor de redação

Fugir ao tema da redação foi uma das principais causas que levaram os candidatos a zerar na prova de redação do ENEM, edição de 2014. O anúncio feito pelo Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão do Ministério da Educação, causou espanto pela grande quantidade de textos anulados. Ou seja, 529.373 estudantes tiraram a nota zero na redação. O número foi 5 vezes maior do que o verificado em 2013.

Isso reforça o alerta para que os alunos redobrem atenção quanto aos quesitos que podem anular uma redação. Para ajudar os professores a resolver esse desafio, listamos abaixo as ocorrências listadas pelo Ministério da Educação. Abaixo de cada uma delas, levantamos uma sugestão para aplicar em sala de aula com os alunos:

    Fuga ao tema: 217.339 candidatos
    Sugestão: normalmente essa ocorrência se evidencia quando há temas muito abertos no ENEM, como em 2014 (publicidade infantil), no qual os alunos não foram ao ponto ao tratar de assuntos que tangenciam a abordagem principal. Diferentemente de 2013, quando o tema foi “Lei Seca no Brasil”, que foi tratado com mais frequência pela mídia. Nesse caso, é importante compartilhar com o aluno os cuidados de temas muito abrangentes. Um caminho que eles podem trilhar é identificar palavras-chaves no texto motivacional, que serve de guia ao tema traçado.

    Cópia do texto motivador: 13.039 candidatos
    Sugestão: reforçar aos alunos com a função dos textos motivacionais. Também conhecidos com texto de apoio, eles servem para instigar e ampliar a compreensão do estudante acerca do tema selecionado. Nesse caso, ele pode ser copiado em trechos, uma prática que é facilmente percebida pelos corretores. Instruí-los que eles devem se inspirar nas informações para trazer informações de seu repertório sociocultural. Um exercício nesse sentido é, nos simulados apresentados pela escola, o professor identificar se essa prática tem sido comum. Vale fazer um teste com temas abrangentes e outros mais fechados, de modo a treinar o olhar dos alunos diante das duas situações.

    Texto insuficiente: 7.824 candidatos
    Sugestão: a proposta de uma redação dissertativa-argumentativa não pode ser cumprida, com exatidão somente em dois parágrafos, não é verdade? Há elementos obrigatórios, como a introdução (que requer explanação sobre o tema); desenvolvimento, que exige do aluno compartilhar informações que fundamentam o que foi trazido no início da produção textual; e, ainda, a proposta de intervenção, que necessita de bastante substância para ser efetiva. Por isso, reforçar aos alunos que poucas linhas levam à desclassificação. Orientá-los quanto a aproveitar, em quase sua totalidade, as linhas deixadas na folha da prova de redação do ENEM. Muitos deles não compreendem que isso pode anular o texto e acabam deixando de lado esse detalhe importante.

    Não atendimento ao tipo textual: 4.444 candidatos
    Sugestão: a confusão com o tipo de texto usado no ENEM é outro motivo que faz com que os alunos zerem na prova de redação. Nós preparamos um texto aqui no blog para orientar os alunos, de um modo bem facilitado (fique à vontade para compartilhar com eles). Uma solução que pode contribuir para que percebam os diferentes tipos de texto é passar exercícios nos quais eles precisam corrigir/ adequar os conteúdos ao que pede o enunciado. Nesse sentido, vale incluir os demais tipos textuais (não somente o que é usado no ENEM). Na véspera da prova, recomenda-se também reforçar a eles para que não confundam e, desse modo, estejam preparados para desenvolver uma redação dissertativa-argumentativa como pede o protocolo.

    Parte desconectada: 3.362 candidatos
    Sugestão: outro erro comum é a falta de conexão entre os parágrafos. Na ansiedade de redigir o texto (ou até por deixá-lo para o fim da prova de redação) muitos esquecem de revisar para perceber se as partes do texto estão se encadeando. Por isso, é importante alinhar com eles o uso de conectores que contribuem para amarrar o texto, evitando a repetição de informações e, principalmente, a inclusão de dados que não tenham sentido com a sequência do texto. Alertar a eles também quanto a informações que não tenham a ver com o tema. Para prepará-los a fim de não cometerem essa falha, vale a aplicação de exercícios específicos que trazem essas ocorrências, com intuito de eles evidenciarem a falhas.

    Fere direitos humanos: 955 candidatos
    Sugestão: embora seja a causa com menor ocorrências, ferir os direitos humanos é um dos casos mais graves da prova de redação. Até porque o aluno pode ter feito um ótimo desenvolvimento texto, atento aos fatores que relacionamos acima, mas errar ao colocar elementos que firam a cidadania, o respeito e a tolerância. Opiniões grosseiras, generalistas e preconceituosas devem ser alertadas para que os alunos redobrem atenção, reflitam com calma e não se posicionem de maneira inadequada diante o tema. É válido um trabalho individual com alunos que você perceba um perfil mais propenso a desenvolver um texto com essa falha.

    E, por fim, há ainda o item “Outros motivos”, em que foram classificadas redações com motivos diversos que levaram à anulação, com causas como rasura ou ter feito a lápis, por exemplo. É fundamental que você alerte os alunos quanto a essas causas, evitando que tenham sua prova de redação anulada.

    Até a próxima!

    Vamos debater sobre?