Redação: A internet como vilã – crimes de ódio e cyberbullying na rede

Carla Gobb Exemplos de redação

Veja exemplo de redação sobre o tema: A internet como vilã – crimes de ódio e cyberbullying na rede.

VEJA DICAS DE PORTUGUÊS

“Durante a Guerra Fria, a disputa entre os Estados Unidos e a União Soviética estimulou pesquisas militares relacionadas aos meios de comunicação, tendo como resultado a criação da internet. No mundo contemporâneo globalizado é inegável que tal invenção oferece um vasto acesso às informações de modo ágil. Diante disso, a rede mundial de computadores também facilita a disseminação de crimes de ódio, que vão desde comentários depreciativos até exposição de conteúdos íntimos. Essas ações configuram o cyberbullying, que está associado a dificuldade de controlar as agressões virtuais e aos danos psicológicos gerados aos envolvidos.

Inicialmente, é relevante mencionar o impasse da fiscalização das ofensas ocorridas no ambiente virtual. Conforme os dados divulgados pela Safernet, entre 2012 e 2014, o número de denúncias de cyberbullying aumentou 500%. Essas denúncias estão conectadas à complexidade de se eliminar todas as fontes de divulgação de materiais caluniosos devido à alta propagação de dados propiciada pela internet. Com isso, o trabalho policial de contenção de tal avanço e de identificação dos infratores, quando eles se utilizam do anonimato, se torna demorado e, em alguns casos, ineficaz. Nesse cenário, gera-se uma constante sensação de impotência e de constrangimento sentida pelos indivíduos atacadas pelos insultos.

Sob essa ótica, constata-se como produto um prejuízo na qualidade de vida, sobretudo, das vítimas. Segundo Jean-Paul Sartre, a violência, seja qual for a maneira como ela se manifesta, é sempre uma derrota. Nesse sentido, o fracasso é visto nos efeitos que são semelhantes tanto para o agressor quanto para o agredido, uma vez que, de acordo com Cléo Fontes, especialista em violência escolar, ambos podem apresentar déficit de atenção, falta de concentração e desmotivação para os estudos. No entanto, para o acometido pelo cyberbullying, as consequências psicológicas são mais devastadoras, pois estão propensos à depressão, ao isolamento social e, em casos mais graves, ao suicídio. Dessa forma, é possível ressaltar que a violência no ambiente virtual provoca bloqueios no que tange ao convívio social da vítima.

Torna-se evidente, portanto, que medidas são necessárias para que a internet não seja um canal de difusão da violência. Antes de tudo, é imprescindível que os órgãos especializados no combate aos crimes virtuais invistam tanto na aquisição de tecnologia quanto na contratação de mais profissionais, tendo como intuito melhorar o atendimento as denúncias referentes a esse tema. Além disso, no caso das crianças e adolescentes, é de responsabilidade dos pais monitorar as ações de seus filhos na rede por meio de softwares como controle parental, um exemplo é o “Norton Família”, com o objetivo de detectar possíveis casos de cyberbullying. A mídia, por sua vez, deve alertar a sociedade – mediante campanhas sociais divulgadas na televisão e na internet – sobre os danos que as agressões virtuais persistentes podem causar as vítimas.”

ESCREVA SOBRE ESSE TEMA

Bons estudos!

Vamos debater sobre?