Exemplo de redação sobre: Viver em rede no século XXI

Carla Gobb Exemplos de redação

Veja um exemplo de redação sobre o tema do ENEM 2011: Viver em rede no século XXI.

“Em 1991 a internet era lançada pela primeira vez. Ainda bastante rústica, a criação de Tim Berners-Lee teria que esperar o fim do século para se tornar popular. Atualmente, o mundo encontra-se conectado e as interações sociais sofreram alterações significativas. No entanto, um problema se apresenta especialmente em países que iniciaram recentemente sua inserção no mundo digital: o reconhecimento do que é público e privado na rede. Compreender as razões e suas consequências faz-se necessárias [1] para que se possa propor uma solução.
Segundo o filósofo grego Aristóteles, ‘o homem é um animal político’. Compreendendo o homem dessa forma, reconhecemos que sua busca por interação social é notória, sendo essa uma necessidade presente em sua natureza. Atualmente, essa interação ganhou uma abrangência maior, trazendo consigo um risco: a distinção entre os conceitos de público e privado. Entendemos esse aspecto como um problema dos tempos modernos devido principalmente a uma compreensão limitada da internet, ou seja, o ser humano acredita estar imune aos problemas reais simplesmente por estar conectado ao ambiente virtual.
Essa imunidade que ele acredita possuir não lhe possibilita calcular os riscos. O sociólogo Émile Durkheim nos chama atenção para os fatos sociais [4] aos qual [2] a internet se enquadra nos dias atuais já que atende aos requisitos de coercitividade, exterioridade e generalidade. A compreensão limitada das consequências e a extensão do problema colocam o homem em risco por acreditar que a internet não possui essa influencia [3] e generalidade.
Não devemos, contudo, ligar esse fato a uma questão de ingenuidade, mas principalmente à novidade representada pela rede, especialmente em países que conseguiram inserir-se no mundo digital recentemente e sua população ainda está se acostumando a ele. Diante desses fatos, propõe-se como solução a conscientização por parte da família e da escola. Por mais geral que essa proposta se apresente, ela é que melhor se enquadra nesse problema, possibilitando à criança e ao jovem compreender por meio de palestras ou na própria sala de aula com o professor esses limites entre o público e o privado, bem como os riscos trazidos com ele. Quanto à família, a conversa e o diálogo são peças chave para complementar o trabalho da escola.”

VEJA DICAS DE PORTUGUÊS

Análise da redação do aluno por competências:

Competência I – Demonstrar domínio da norma culta:

O estudante cometeu erros que podem e devem ser evitados.

[1] O correto é “necessário”, pois é relativo a “compreender”.
[2] O correto é “aos quais”.
[3] Esqueceu do acento.

Competência II – Compreender a Proposta:

Abordagem boa. Sugiro, no entanto, que ela se contextualize mais com a realidade local.

Competência III – Selecionar, relacionar argumentos:

[4] Cuidado com a construção de sua frase, que aqui assume sentido ambíguo, dando a entender que Durkheim tratava da internet. Para solução do problema, utilize vírgula depois de sociais.

Competência IV – Conhecer os mecanismos linguísticos para a construção da argumentação:

Nível coesivo bom, mas cuidado com conectivos como “ao qual” [2], entre outros.

Competência V – Elaborar a proposta de solução para o problema:

Boa proposta. Para evitar o caráter “geral” da proposta, detalhe-a mais em seu modus operandi: como fazer com que a escola cumpra seu papel? Qual o papel do Estado nisso? Como fazer com que a família, negligente em grande parte da população, atente-se ao seu dever?

Não deixe de escrever a sua! Bons estudos!

VEJA DICAS DE PORTUGUÊS

Vamos debater sobre?