Aula de redação: a argumentação na redação do ENEM

Rodrigo de Oliveira Dicas para corretor de redação

Um bom desempenho dos alunos passa pelo desafio de prepará-los de modo mais adequado, centrado nas necessidades de cada um deles. A sequência didática focalizada nesses anseios colabora (e muito) no caminho de preparação para o ENEM. Por conta disso, preparamos esse post especialmente para trazer algumas contribuições aos professores que estão procurando potencializar a argumentação de seus alunos na produção de texto dissertativo-argumentativo.

Esse critério recebe atenção especial dos avaliadores, com peso de 200 pontos (de um total de 1000 possíveis de serem marcados). É a terceira competência a ser avaliada e tem o objetivo de compreender se o candidato soube selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos, em defesa de um ponto de vista. Trocando em miúdos: essa competência está intimamente ligada à capacidade de compreensão do tema e a relação dele com o repertório sociocultural do aluno.

Embora toda essa bagagem seja construída a partir das experiências adquiridas ao longo de sua vida escolar, é um critério que pode ser trabalhado nas séries finais. E estruturamos, abaixo, uma sequência didática que vai ajudá-lo nessa missão. Antes de mais nada, a nossa recomendação é que os professores alinhem seu conhecimento aos critérios de avaliação desta competência. Nós fizemos um post específico sobre o assunto que passa sobre todas as competências exigidas pelos avaliadores no ENEM.

A partir disso, recomendamos essa sequência para potencializar o conhecimento dos alunos:

1º passo: Socialização do conhecimento

A apresentação da proposta é um ponto que deve ter bastante atenção dos professores, uma vez que tratar da importância da argumentação no texto dissertativo pode ter inúmeras interpretações aos alunos presentes numa mesma sala. Mesmo sendo um assunto recorrente, vale a pena remeter à origem da palavra, para detalhar o que se espera quando enfatizamos essa competência. Peça a opinião dos alunos, para que eles socializem o que entendem por esse termo. Verifique se a participação deles lembrou de conceitos importantes, tais como apresentar fatos, ideias e/ou razões lógicas que confirmem uma afirmação (ou mesmo uma tese).

2º passo: Exposição do termo

É válido, na sequência, investir um tempo na explanação do termo, remontando aos elementos exigidos na prova de redação no ENEM. Engajá-los quanto à importância da boa argumentação, no resultado final da prova (pois pode levar o candidato a garantir até 200 pontos) é uma maneira de atrair a atenção ao porquê de a aula ser direcionada a este foco.

3º passo: Debates com foco na defesa de pontos de vista

Um exercício que pode auxiliar o desenvolvimento do tema é promover um debate em sala, focalizado temas da atualidade, que tenham conexão com o contexto no qual os alunos estão inseridos ou até com potencial para ser escolhido como tema de uma próxima edição do ENEM. Nesse momento, a sala pode ser organizada em grupos, de modo que compartilhe entre eles textos de apoio (similares aos textos motivacionais que receberão quando estiverem diante da prova). Cada grupo pode receber textos previamente separados que tratem de um mesmo tema, mas com ponto de vista diferentes.

A partir disso, incentive os alunos para que eles conversem entre si sobre o tema e organizem uma defesa por tópicos, de modo a ter uma explanação sobre o assunto, favorecendo um exercício prático de argumentação. O professor, nesse contexto, terá papel de mediador, instigando o debate para que as respostas possam ser fundamentadas. Opiniões radicais podem ser alertadas também pelo educador.

4º passo: Reconhecendo a argumentação

Outra atividade que pode enriquecer sua sequência didática é a de fazer com que o aluno identifique, em sua própria produção textual, os elementos argumentativos utilizados por ele. Nesse caso, podem ser usados os próprios textos de autoria deles, corrigidos em aulas anteriores, para que façam uma revisão crítica, questionando um apontamento contrário ao que eles próprios escreveram, para identificar se há argumentação convincente utilizada.
Outra possibilidade é incentivar a troca de textos entre os alunos. Assim, é possível fomentar uma análise crítica sobre a argumentação feita pelo outro integrante da dupla. É válido ressaltar que, nesse caso, apenas devem ser compartilhados os materiais sem marcações de correção feitas pelo professor, para não expor o aluno.

5º passo: Prática de texto

A argumentação é uma das competências que mais apresentam melhoras a partir da prática constante de texto. Desse modo, recomendamos aos professores que incentivem os alunos à prática textual dissertativa-argumentativa, de preferência a partir do tema que foi debatido no exercício proposto em sala. A partir disso, será mais identificar o nível de compreensão dos alunos quanto à argumentação. O uso de plataformas de correção são aliadas também para contribuir no acompanhamento dos alunos (e essa tem sido uma estratégia que tem dado muito certo para escolas que conseguiram melhorar consideravelmente a produção textual dos candidatos do ENEM).

Para concluir o assunto, recomendamos a integração dessa sequência didática com outras disciplinas que também trabalham os elementos da argumentação (a exemplo da Filosofia, Sociologia ou mesmo Atualidades, conforme a grade curricular da sua escola). A melhora no desempenho do aluno é resultado desse esforço em conjunto também.

Vamos debater sobre?