Aula de redação: a norma culta na redação do ENEM

Rodrigo de Oliveira Dicas para corretor de redação

A sequência didática é um recurso valioso para ajudar os alunos a se prepararem para a redação do ENEM, considerando todas as necessidades exigidas para um desempenho que resulte na nota 1000. Neste post, especificamente, vamos trazer algumas recomendações para estruturar um conjunto de atividades, que vão desde o desenvolvimento à avaliação, no intuito de apoiar o estudante para uma melhor compreensão sobre os critérios da norma culta exigidos na referida prova.

O primeiro passo que recomendamos é que os professores estejam alinhados quanto à avaliação de cada um dos itens. Nós fizemos um post específico sobre o assunto que passa sobre todas as competências do ENEM. Ao ter um bom domínio do que é exigido fica mais fácil estruturar as aulas em sintonia com os que os avaliadores esperam acompanhar dos alunos.

Em linhas gerais, na primeira competência avaliada “Demonstrar domínio da norma culta da língua portuguesa”, os examinadores buscam analisar se o candidato tem noções claras sobre a distinção da modalidade escrita e a oral. Com a internet, os estudantes têm trocado mensagens de texto com frequência. O desafio é que nestas plataformas o uso da língua portuguesa é empregado de maneira mais coloquial do que o modo formal (aquele que é exigido em redações como a do ENEM 2015). Fazer os alunos compreenderem essa diferença e, principalmente, do peso que isso tem na prova de redação vai ajudá-los bastante a ter uma pontuação melhor neste item.

1º passo: Criar identidade do aluno com o assunto

Embora a língua portuguesa seja um tema constantemente tratado em sala de aula (inclusive por ser uma disciplina específica), a primeira ação a ser tomada deve ser a apresentação da proposta. Nela é importante evidenciar aos alunos o quanto o conhecimento da norma culta vai ajudá-los a ter um desempenho melhor na avaliação. Com essa sensibilização inicial, vale a pena colher a percepção deles sobre o tema (que pode ser confirmada a partir dos apontamentos que você identifica na produção textual deles).

2º passo: Diferenciar a modalidade escrita da oral e instigar a pesquisa

Como mencionamos acima, um desafio que os professores têm é o de fazer com que os alunos percebam que na prova do ENEM devem redobrar atenção para não trazerem para o texto elementos característicos da oralidade. Vale diferenciar a eles que por ser um documento oficial, a partir do qual serão avaliados, é necessário tomar esse cuidado. Nesse contexto, pode ser sugerido um exercício em grupo, na própria sala, para identificar quais elementos são mais comuns de reproduzirmos recursos orais (a exemplos das gírias) na redação. A explanação dessa pesquisa inicial pode ser uma fonte rica para todos visualizarem o cuidado que se deve ter a esse ponto.

3º passo: Ampliar o repertório dos alunos sobre o tema

Cumprida a etapa anterior, é válida uma breve exposição para ampliar o repertório dos alunos a respeito das cobranças que podem ser feitas pelos avaliadores num exame como o do ENEM. Trazer exemplos de frases construídas e que contenham essas inadequações poderá contribuir para maior assimilação por parte deles. Vale ainda como recurso recorrer às próprias dificuldades dos alunos, as quais foram percebidas na correção das provas. Evidentemente, sem expor nominalmente o estudante.

4º passo: Exercícios para melhor fixação do conteúdo

Para confirmar que a exposição feita tenha impacto no conhecimento dos alunos, uma maneira adequada é recorrer aos exercícios em sala. A aprendizagem pela identificação de conteúdo contribui para os alunos fixarem o que foi apresentado. A própria correção em sala o ajudará a perceber o quanto a atividade contribui para enriquecer o conhecimento dos estudantes diante daquele tema.

No caso de a escola dispor de estrutura audiovisual, outro recurso que pode contribuir nessa tarefa é apresentar um vídeo curto extraído da internet. É importante que seja feita a escolha de assunto presente no universo deles. Faça a digitação do conteúdo e leve as cópias para a sala, a fim de que eles percebam, acompanhando o vídeo, quais são elementos de oralidade no texto.

5º passo: Estabeleça uma avaliação

A fim de engajar e mensurar melhor o desempenho dos alunos, opte por estabelecer uma nota, que pode servir de parâmetro para o aluno quanto a esse determinado item. O acompanhamento pode ser feito de diversas formas, a exemplo da aplicação de um texto escrito, da correção dos exercícios feitos ou, até mesmo, do nível de participação deles nas tarefas de socialização do conhecimento.

6º passo: Instigar a pesquisa constante

Recomendar a revisão de capítulos anteriores de conteúdos já apresentados é outra saída importante para comprometer os alunos para melhorar seu desempenho quanto à norma culta. Promover encontros regulares, como plantão de dúvidas, pode ajudá-los também. Nesse sentido, caso consiga fazer o atendimento individual, é melhor ainda, pois muitos podem ter dificuldade de expressar sua dúvida coletivamente.

É importante dizer que essa sequência didática pode ser trabalhada em conjunto com o professor de redação ou língua portuguesa (no caso de não serem os mesmos). Isso contribuirá para reforçar o desempenho dos alunos e irá gerar maior sinergia nos esforços empreendidos. Esperamos que tenha gostado e que essa solução possa ajudá-lo em sala. Até a próxima!

Vamos debater sobre?