Como citar a série “Todo Mundo Odeia o Chris” na redação

Beatriz Kalil Othero Dicas de Redação

Filmada entre 2005 e 2009, a série de televisão estadunidense Todo Mundo Odeia o Chris (originalmente Everybody Hates Chris) conquistou fãs em vários países e ganhou inúmeros prêmios da crítica ao longo dos 4 anos de exibição. Mesmo tendo caráter cômico e satírico, o programa também promoveu reflexões ao retratar muitos temas sociais, sendo, assim, uma adequada referência na sua redação.

Veja abaixo alguns assuntos discutidos por Todo Mundo Odeia o Chris:

Racismo

Chris, o personagem principal, é negro, assim como sua família, formada por seus pais, Julius e Rochelle, e seus irmãos, Drew e Tonya. Frequentemente, eles sofrem racismo – tanto velado, quanto explícito – em lojas, restaurantes, cinemas e no transporte público, por exemplo.

Chris ao centro, em volta de sua família e de seu melhor amigo, Greg (à direita).

Chris ao centro, em volta de sua família e de seu melhor amigo, Greg (à direita). Foto: reprodução

Pessoas em situação de rua

Um dos personagens, o “Golpe Baixo” (originalmente, “Kill Moves”), é morador de rua, por ter perdido o emprego no corte de gastos promovido pelo governo dos Estados Unidos. É marginalizado na sociedade, porém, conseguiu fazer amigos, como o pessoal da barbearia onde Chris frequenta.

Bullying

Durante alguns anos do Ensino Fundamental, Chris foi o único aluno negro na escola em que estudava, o que intensificou sua situação de minoria social. Além disso, diariamente, ele sofria bullying dos colegas – e até mesmo de professores. O principal bullie de Chris era Caruso, que quase sempre o insultava e o agredia. Um dos únicos estudantes que não destratava Chris era seu melhor amigo, Greg.

Caruso intimidando Chris, sob os olhares de vários colegas.

Caruso intimidando Chris, sob os olhares de vários colegas. Foto: reprodução

Desigualdade social

Em muitos episódios são mostrados fortes contrastes sociais: pessoas mais ricas possuem privilégios na sociedade, enquanto as mais pobres não têm tantas oportunidades.

Abuso de poder e racismo da polícia

Chris mora no bairro Brooklyn, onde o índice de criminalidade é alto. Porém, a polícia de Nova York não contribui para mudar essa estatística, pelo contrário: destratava e prendia pessoas negras, até mesmo sem provas. No vídeo abaixo, o racismo policial é criticado de forma explícita – e, claro, satirizada:

A série deixou saudades, mas as discussões trazidas por ela permanecem importantes, não é? Boa reflexão – e produção 🙂

OS 5 ESCRITORES QUE MAIS CAEM NO ENEM E TEMAS PARA CITÁ-LOS

Vamos debater sobre?