Erros gramaticais: duas meninas olhando para um computador com expressão de dúvida.

Conheça os 10 erros gramaticais que você pode estar cometendo sem perceber

Roberta Firmino Dicas de português

Escrever uma palavra errada, esquecer um acento ou usar uma pontuação inadequada são alguns dos erros gramaticais mais comuns em redações. Por serem tão frequentes, costumamos identificá-los facilmente em uma revisão, por exemplo, e corrigi-los.

Porém, existem muitos outros erros que passam despercebidos na hora da escrita e até mesmo da revisão de um texto, justamente por não serem tão óbvios, apesar de também serem comuns.

Para te ajudar a não cometê-los em sua redação e ter a sua nota prejudicada, separamos os 10 erros gramaticais que você pode estar cometendo sem perceber. Então, é só ficar atento para não errar mais!

Entenda o que são erros gramaticais

Você já abriu um livro de gramática? Se sim, provavelmente se deparou com uma série de regras relacionadas à língua portuguesa. Isso porque a gramática é um conjunto de normas que definem o modo correto de nos expressarmos por meio do idioma português.

Portanto, um erro gramatical é qualquer modo de escrita que fuja dessas normas e padrões pré-estabelecidos

Esses erros gramaticais se subdividem em diversos tipos, como, por exemplo:

  • erros de acentuação;
  • erros de concordância verbal ou nominal;
  • erros de coerência e coesão;
  • erros de ortografia, etc.


10 erros gramaticais mais comuns

Agora que você já sabe do que se tratam os erros gramaticais, vamos falar sobre os 10 equívocos mais comuns mas não tão óbvios assim que você está cometendo sem perceber.

Já está preparado para anotar aí?

1. Despercebido x desapercebido

Sim, as duas palavras existem! O que dirá se elas estão sendo utilizadas de forma correta é o contexto em que você está inserindo esses termos. 

Não é difícil de entender: a palavra “despercebido” significa que algo passou sem ser notado, não chamou a atenção das pessoas. Exemplo:

  • “O ladrão foi tão discreto que passou despercebido.”

Já a palavra “desapercebido” significa desprevenido. Podemos usá-la, por exemplo, em:

  • “Ele estava desapercebido, por isso não viu o cachorro fugindo.”

Gif de um menino que não vê que uma porta está sem vidro e acaba passando para o outro lado e caindo.

2. Para àquele

“Aquele” é um pronome demonstrativo. Porém, quando é necessário utilizar a preposição “a” para introduzi-lo, devemos substituí-la pela crase em “àquele”. Por isso, é errado dizer “para àquele”. Afinal, significa que você está usando duas preposições juntas!

Então, existem duas possibilidades de você introduzir a palavra: usando “para” com “aquele” sem a crase ou usando “àquele”. Veja os exemplos:

  • “Eu disse para aquele homem que a festa já havia acabado.” ou
  • “Eu disse àquele homem que a festa já havia acabado.”

3. Sujeito preposicionado

De acordo com as normas gramaticais, o sujeito de uma oração não pode ser preposicionado. E esse é um dos erros gramaticais mais comuns nas redações, porque as pessoas costumam conjugar a preposição “de”, por exemplo, com o artigo que antecede o sujeito. 

Veja um exemplo: a oração “apesar do professor ter notado o erro, não tirou pontos do aluno” está errada. O modo correto de escrever, portanto, é: “apesar de o professor ter notado o erro, não tirou pontos do aluno”.

4. Junto com

Esse erro é muito comum principalmente em propostas de intervenções exigidas em redações dissertativas, como é o caso do Enem. 

Ao propor parcerias, por exemplo, o candidato pode acabar afirmando: “o governo junto com a mídia”. Porém, se é junto, automaticamente pressupomos que há um “com” na ideia. 

Trata-se de uma expressão redundante e sugerimos a reformulação da frase para, por exemplo: “o governo e a mídia devem, juntos, criar estratégias para mudar esta realidade.”

5. Através

A não ser que você queira dizer que algo está literalmente atravessando outra coisa — como em “o vidro passou através de seu corpo” —, não use a palavra “através”.

Gif de um cachorro passando através de montes de folhas no chão.

Para utilizá-la no sentido de “mediante”, você pode trocá-la por esse termo ou por outros sinônimos, como “por meio de” ou “por intermédio”.

6. “Há __ anos atrás”

Em nosso cotidiano, temos a mania de dizer que algo aconteceu “há 10 anos atrás” ou “há tanto tempo atrás”, por exemplo.

Porém, o verbo “há” já indica tempo passado. Por isso, não há a necessidade de colocar a palavra “atrás” em sua frase também. É preciso que você opte por uma ou outra. Pode ficar assim:

  • 10 anos” ou
  • “10 anos atrás”.

7. “Surpresa inesperada”, “planos para o futuro”, “planejar antecipadamente”

Você já utilizou alguma das expressões acima? Se sim, precisamos te informar que você cometeu redundâncias bem graves!

Vamos pensar: se é surpresa, com certeza é inesperada. Não fazemos planos para o passado, seria impossível concretizá-los, certo? E se estamos planejando, já é antecipado! Por isso, tenha atenção a esses pontos.

8. “Ao encontro de” x “de encontro ao”

As expressões “ao encontro de” e “de encontro ao” não são erros gramaticais por si só, pois elas existem. Mas, quando são confundidas, elas mudam completamente o sentido da ideia que você quer passar!

“Ir de encontro” significa ser contra. Já “ir ao encontro” significa estar de acordo ou ir em direção a.

Confira alguns exemplos de uso dessas expressões:

  • “As decisões foram de encontro à ordem do chefe.” (foram contra a ordem)
  • “Seu plano vai ao encontro do que eu estava planejando para o final de semana.” (estão de acordo com o que estava sendo planejado)  

9. Discursão x discussão

Quando dizemos “discursão”, estamos falando de um discurso grande! Na verdade, essa palavra nem existe no português, e acaba sendo confundida por causa da palavra “discurso”.

Então, atenção: sempre que quiser se referir ao ato de discutir, debater ou polemizar, a palavra correta é discussão.

10. Traz x trás

É muito comum escrevermos essas duas palavras em contextos errados. Ambas existem, mas também possuem significados distintos. 

“Trás” referencia-se à parte traseira, e, quando precedida por uma preposição, é um advérbio de lugar. “Traz” é a forma conjugada do verbo trazer, que significa levar ou transportar.

Então, o uso correto desses termos pode ser percebido nos seguintes exemplos:

  • “Bateu na parte de trás do meu carro.”
  • “Quando ele viaja, sempre traz uma lembrança para os filhos.”

Deu para entender quais são os erros gramaticais mais comuns e identificar se você está os cometendo desapercebidamente? Explore bastante este material para gravar as dicas e não cometer os equívocos citados quando for produzir. E, para já ir praticando, baixe a nossa folha de redação guiada gratuitamente e comece a treinar ainda hoje!

Banner de divulgação do modelo de redação guiada para quem quer saber como estudar para o Enem. O banner direciona para o link de cadastro a seguir: https://conteudo.imaginie.com.br/folha-de-redacao-guiada?utm_source=blog&utm_medium=post-erros-gramaticais&utm_campaign=material-rico&utm_content=banner

Vamos debater sobre?

Rua Bernardo Guimarães, 2129 - Lourdes, Belo Horizonte - MG, 30140-087. Telefone: (31) 3517-1717

Copyright © 2015 Imaginie | Made in #SanPedroValley and Utah.