Como avaliar o ponto de vista dos alunos?

Rodrigo de Oliveira Dicas para corretor de redação

Avaliar um ponto de vista é um dos desafios dos corretores de texto. Afinal de contas, como distinguir e analisar com isenção opiniões tão diversas, com perspectivas bem diferentes das nossas? Foi justamente pensando nisso que o blog preparou esse post, para trazer recomendações que podem ajudar você a avaliar o ponto de vista dos estudantes, sabendo indicar quais caminhos são mais adequados para corrigi-lo — especialmente, quando este traz elementos que possam prejudicar o aluno na redação do ENEM. Falaremos sobre isso logo mais, ok?
Um primeiro passo importante é identificar que a opinião do aluno se faz presente em vários momentos do texto, sobretudo, na proposta de intervenção (quando se trata de uma redação dissertativa-argumentativa, tipo de texto da prova do ENEM). Das cinco competências que são analisadas, essa é a que mais os candidatos apresentem dificuldades em pontuar. Só para se ter uma ideia, em 2013, a pontuação média entre todos os inscritos no ENEM foi de 66.9 pontos nessa competência — bem menos da metade dos 200 pontos possíveis de se conquistar.
Esse desempenho aquém do desejado se efetiva porque, na maioria das vezes, o candidato não traz ao texto ideias para solucionar o conflito singularizado no tema. Até porque a proposta de intervenção ainda é muito confundida como conclusão do texto. E aqui está a primeira dica: caso você, corretor, note que o texto não apresentou soluções à provocação constante do enunciado, é preciso sinalizar com clareza. Lembre-se que a proposta de intervenção precisa estar fundamentada em argumentos e alinhada aos tópicos que foram desenvolvidos ao longo do texto.

Além disso, recomendamos ficar de olho nessas 4 dicas práticas que podem ajudá-lo a avaliar o ponto de vista dos alunos:

Analise a conexão com o tema: perceba se a proposta de intervenção trazida pelo aluno possui relação direta com o tema e com a provocação trazida nos textos de apoio (também conhecidos como textos motivacionais). A partir deles, os estudantes aliam ao repertório sociocultural individual, o que deve lhes dar condições de apresentarem soluções viáveis e replicáveis. Uma recomendação que pode ser dada aos alunos é que estes devem sempre alinhar a proposta de intervenção aos argumentos que já foram desenvolvidos ao longo do texto. E, por isso, não se trata de tirar da cartola uma solução milagrosa! É sempre importante tranquilizá-los quanto ao objetivo da proposta de intervenção, até para que a vejam como um bicho-de-cabeças, tudo bem?

Respeite o contexto de cada um: talvez aqui esteja uma das maiores dificuldades encontradas pelos corretores ao analisar o ponto de vista em uma redação. Como os alunos vivem em contextos diferentes e, portanto, possuem repertório socioculturais igualmente distintos é preciso haver muito cuidado na avaliação destas opiniões. E isso representa nos afastar da nossa própria visão para que a análise feita no texto possua o máximo de isenção possível. Por isso, por mais diferente que seja aquele trecho de sua opinião, certifique-se de dois aspectos: 1) se o que está sendo trazido pelo autor tem conexão com o tema, como expusemos no item anterior; 2) se o ponto de vista seguem os parâmetros que alertam o ENEM, isto é, para que estes não firam os direitos humanos.

Analise se a proposta de intervenção está adequada: seguindo nessa linha de raciocínio, é imprescindível avaliar se o ponto de vista trazido na proposta de intervenção está atendo aos critérios avaliados. Trocando em miúdos: as soluções apresentadas pelos alunos devam ter dois focos: individual e global. Essas recomendações evitam que os autores fujam de propostas muito genéricas, com afirmações muito abrangentes. E, principalmente, os compromete a pensar em ações menores que podem ser potencializadas em escala global. Tenha em mente se aquilo que está sendo proposto responde a essas questões simples: quem fará o que eu estou propondo? Como será feito? Quais ferramentas ou recursos deverão ser usados? E assim por diante.

Atenção ao que pode desqualificar o texto:  um dos aspectos que podem levar a zerar a redação do ENEM é quando esta apresenta opiniões ou pontos de vista que desrespeitem os direitos humanos. Normalmente, isso ocorre quando o candidato se exalta ao apresentar suas soluções e parte para argumentos genéricos, agressivos e generalistas. Não somente a prova do ENEM, mas toda proposta de redação deve prezar pela cidadania. Até por isso é muito importante ao pensar numa solução pensar no bem da sociedade como um todo. Ao perceber isso na correção, indique que os alunos leiam bastante e aprofundem seu repertório sociocultural para que apresentem opiniões em sintonia com o tema e, principalmente, sejam viáveis na aplicação na sociedade.

Essas são recomendações importantes e que ajudam você, corretor, a estabelecer uma distância necessária para analisar, com isenção, o ponto de vista dos alunos que preparam uma redação para o ENEM. Leve em consideração essas dicas e compartilhe com a gente o quanto isso facilitou o seu trabalho! Caso tenha alguma recomendação diferente, não deixe de nos contar também (abaixo, nos comentários).

Até o próximo post!

Vamos debater sobre?