Fotografia de uma mesa com um livro à frente. Ao fundo, está uma moça estudando os tipos de argumentos.

Tipos de argumentos: quais estratégias usar em sua redação?

Roberta Firmino Dicas de Redação

Você provavelmente já ouviu falar sobre o texto dissertativo-argumentativo, principalmente se está estudando para algum vestibular ou concurso. Trata-se de um dos gêneros textuais mais cobrados nos exames do país!

E, lembrando da estrutura desse tipo de texto, você perceberá que ele exige introdução, desenvolvimento e conclusão.

O desenvolvimento, por sua vez, exige a apresentação de argumentos para que você consiga sustentar a sua tese, ou seja, a proposição que você está defendendo na redação.

Mas, afinal, quais são os tipos de argumentos que você pode adotar? No artigo de hoje, vamos falar sobre as diferentes estratégias que você pode utilizar para convencer o seu leitor. Continue a leitura e saiba como potencializar a sua redação!

Quais são os tipos de argumentos?

Bom, nós já sabemos que para desenvolver bem um texto é preciso compreender e escolher estratégias argumentativas. Afinal, elas influenciam na capacidade de convencimento do leitor de que suas ideias são válidas.

Porém, antes de abordar quais são os tipos de argumentos (ou estratégias argumentativas), precisamos diferenciá-los do que são os argumentos em si.

O primeiro conceito é fácil: o tipo de argumento se trata da forma como você irá apresentar os pontos de defesa da sua tese. É através de exemplos? Análises históricas? É a maneira como você irá organizar os argumentos.

Já o argumento é individual e pautado em sua opinião e conhecimento. É o que será desenvolvido por meio das estratégias argumentativas, que vamos estudar agora.

Então, após definir quais argumentos você tem para defender um determinado tema, sejam eles de autoridade (sustentados por informações de especialistas), de provas concretas (respaldados por dados e estatísticas) ou analogias (apostando na ideia de igualdade de situações), é a hora de organizar de que forma isso será escrito na redação.

Deu para entender? Então, conheça agora 6 tipos de argumentos para usar em seu texto!

Gif de uma mulher animada gritando: Let’s go! Let’s go! Let’s go!

1. Exemplificação

Na estratégia de exemplificação, você irá inserir e desenvolver um exemplo específico como foco principal do parágrafo, tendo o propósito de justificar a sua ideia. Esse exemplo deve ser, preferencialmente, de conhecimento geral.

Alguns operadores argumentativos para esse tipo de argumento são: para contextualizar, por exemplo, a exemplo de, a título de exemplificação, como acontece no caso, etc.

Veja um exemplo: 

“Em 2013, milhares de manifestantes ocuparam as ruas da capital de São Paulo em reivindicação por melhorias e redução dos preços dos transportes públicos. Nota-se como fatores socioeconômicos também são responsáveis pelos casos. A Revolução Francesa, por exemplo, é considerada o símbolo de “liberdade, igualdade e fraternidade”, visto que mobilizou as camadas sociais infladas da crise econômica no respectivo país. Assim, é evidente que a política externa e interna influenciam na quantidade de manifestações ocorrentes.”

2. Enumeração

A enumeração é o segundo dos tipos de argumentos que abordaremos aqui. Nela, você deverá citar os vários argumentos que possui sobre o assunto, um a um, de modo a, literalmente, enumerar uma série de fatos que comprovam a relevância do que você está defendendo

É importante que você explicite bem que haverá uma ordem de ideias no desenvolvimento. Para isso, você pode citar, por exemplo, que há dois problemas e destrinchá-los em parágrafos diferentes.

Alguns operadores argumentativos para esse tipo de parágrafo são: em primeiro lugar, primeiramente, além disso, ademais, outro fator importante, etc.

Confira o exemplo que preparamos para você: 

Em primeiro lugar, é imprescindível ressaltar como a carência de medidas públicas gera a ocorrência de tal problema em sociedade. De acordo com Jürgen Habermas, filósofo alemão, para que haja a comunicação plena e o acordo de interesses deve-se existir o agir comunicativo. No entanto, manifestações populares que possuem o objetivo de reivindicar direitos e melhorias são menosprezadas por parte da população e dos políticos, devido à ocorrência de destruição e badernas realizadas por malfeitores que não integram os movimentos.”  

3. Comparação

Ao desenvolver o parágrafo por comparação, duas ideias são apresentadas e ressaltam-se as semelhanças e/ou diferenças entre elas

Aqui, os operadores argumentativos são essenciais. Alguns são: igualmente, como se, da mesma forma, bem como, assim também, assim como, do mesmo modo, tanto quanto, semelhantemente acontece com/quando, etc.

Aqui está um exemplo:

Semelhantemente, essas mesmas autoridades possuem interesses financeiros na má alimentação dos brasileiros. Conforme Marx, em um mundo capitalizado, a busca pelo lucro ultrapassa valores éticos e morais. Nesse sentido, as grande empresas alimentícias vendem a imagem dos seus produtos atrelados à felicidade e à realização pessoal, quando, na maioria das vezes, essas mercadorias são responsáveis pela degradação da saúde do consumidor. Ainda, de acordo com dados da UnB, as propagandas dessas indústrias induzem a uma má alimentação e atingem fortemente o público infantil.”  


4. Causas e efeitos

Muito comum como estratégia argumentativa, nesse modelo você apresenta os motivos, os porquês, as razões de um determinado problema acontecer e, em seguida, as consequências, os resultados e os desdobramentos.

Os operadores argumentativos podem ser: porque, já que, visto que, graças a, em virtude de, como reflexo disso, com efeito, assim, consequentemente, etc.

Fica assim:

“É importante pontuar, de início, a omissão do meio acadêmico quanto à má alimentação dos jovens. À guisa de Kant, o ser humano é tudo aquilo que a educação faz dele. As escolas brasileiras, entretanto, negligenciam a saúde dos estudantes ao não instruí-los sobre os riscos da obesidade e as formas de preveni-la. Como reflexo de uma população ignorante frente aos hábitos alimentares ideais, 8,4% dos adolescentes são obesos e mais de 30% das crianças apresentam excesso de peso, segundo pesquisa recente do Ministério da Saúde.”  

5. Evolução histórica

Esse tipo de argumento envolve cronologia, ou seja, tempo e espaço. Você precisa saber abordar um fato histórico referente ao assunto em pauta, com datas, locais e fatos ocorridos.  

Confira alguns operadores argumentativos para esse tipo de parágrafo: antes, depois, posteriormente, quando, logo que, assim que, logo após, a princípio, no momento em que, pouco antes, pouco depois, atualmente, hoje, freqüentemente, nesse meio tempo, sempre que, assim que, desde que, etc. 

Confira o exemplo:

“Em primeira instância, cabe destacar o panorama histórico-político da segurança pública que influi em seu perfil hodiernamente. Na época do período militar, acentuou-se o esfacelamento de uma sociedade democrática em virtude da doutrina de segurança nacional, uma lógica puramente autoritária de conduta. Os modelos e as ações de segurança pública limitavam-se à contenção social, com o uso da força e de armas para a repressão. Contudo, essa ótica é perceptível no comportamento das ações policiais que são enfatizadas pelo terror e violência. Um exemplo que permite ilustrar isso, foi a ocupação militar da comunidade da Rocinha, no Rio de Janeiro, marcada pelas guerras entre traficantes e os próprios policiais, ceifando centenas de vidas inocentes no meio do conflito.”  

6. Contraposição

Aqui você pode contestar uma ideia, por exemplo, afirmando como algo acontece e em seguida dizendo o porquê de não funcionar. Podem ser mostradas duas perspectivas diferentes sobre um mesmo argumento, denotando um contraste de opiniões.

Alguns operadores argumentativos para esse tipo de parágrafo são: mas, porém, todavia, contudo, entretanto, no entanto, senão, embora, ainda que, mesmo que, mesmo quando, apesar de que, se bem que, não obstante, etc.

Veja um exemplo:

“Outrossim, é importante destacar o papel da educação no combate a essa situação, já que, assim como preconizado pelo educador brasileiro Paulo Freire, se a educação não pode transformar uma sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda. Tal pensamento evidencia o poder transformador da educação. No entanto, a educação oferecida no Brasil pelo sistema público ainda não é expansiva e de qualidade, principalmente, em comunidades carentes, na qual muitos jovens acabam recorrendo ao mundo da criminalidade, aumentando os índices de violência e prejudicando o sistema público de segurança.”

Vamos colocar em prática?

E aí, deu para entender quais são as estratégias argumentativas que você pode utilizar em sua redação para defender a sua tese? Então é hora de treinar!

Agora que você já sabe quais tipos de argumentos utilizar, baixe a nossa folha de redação guiada gratuitamente. Assim, você pode praticar e conferir as nossas dicas para produzir textos nota 1000!

Banner de divulgação do modelo de redação guiada para quem quer saber como estudar para o Enem. O banner direciona para o link de cadastro a seguir: https://conteudo.imaginie.com.br/folha-de-redacao-guiada?utm_source=blog&utm_medium=post-tipos-de-argumentos&utm_campaign=material-rico&utm_content=banner

Vamos debater sobre?

Rua Bernardo Guimarães, 2129 - Lourdes, Belo Horizonte - MG, 30140-087. Telefone: (31) 3517-1717

Copyright © 2015 Imaginie | Made in #SanPedroValley and Utah.