Guia completo do Enem

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

O Exame Nacional do Ensino Médio, conhecido como Enem, é uma avaliação nacional que funciona como principal porta de entrada para estudantes em universidades públicas e privadas. O Exame é aplicado uma vez ao ano e recebe milhões de candidatos de todo o país.

Por ser uma prova tão importante, surgem muitas dúvidas sobre o seu funcionamento e aplicação. Por isso, preparamos este guia completo para você tirar todas as suas dúvidas sobre o Enem. Confira!

Índice

O que é o Enem?
Como funciona o Enem?
Como é a prova do Enem?
Por que o Enem é importante?
Quem pode participar do Enem?
Como se inscrever para o Enem?
Qual é o cronograma do Enem?
O que estudar para o Enem?
Onde estudar para o Enem?
Onde vou fazer a prova do Enem?
O que levar no Enem?
O que não levar no Enem?
O Enem é difícil?
Como ir bem no Enem?
Como a nota do Enem é calculada?
Quando sai o resultado do Enem?
Onde usar a nota do Enem?

O que é o Enem?

O Enem é um Exame de âmbito nacional preparado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vinculado ao Ministério da Educação (MEC). As provas são aplicadas em 2 domingos, 1 vez ao ano, e abrangem conteúdos abordados na educação básica (ensino fundamental e médio) dentro de 4 grandes áreas de conhecimento.

Desde quando foi criado, o Exame passou por diversas transformações até chegar ao significado que tem na vida de milhares de estudantes atualmente: ser a porta de entrada para o ensino superior.

Hoje em dia, o Enem é, sem sombra de dúvidas, a prova mais importante para quem deseja ingressar em uma universidade pública ou privada com oportunidades de bolsa e financiamento. Para você ter uma noção, foram mais de 5 milhões de inscritos por todo o país apenas em 2019!

Quem criou o Enem?

O Enem foi criado pelo Ministério da Educação em 1998. Apesar de ter sido um trabalho realizado em conjunto pela equipe do MEC, é importante ressaltar que ele foi bastante influenciado pelo então Ministro da Educação, Paulo Renato Souza, durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Qual é o objetivo do Enem?

Atualmente, um dos principais objetivos do Enem é avaliar estudantes que desejam ingressar no ensino superior por meio de programas como o Sisu, o ProUni e o Fies. Esses programas governamentais classificam e selecionam os candidatos para milhares de cursos de acordo com a nota obtida no Exame.

Porém, não foi sempre assim. Em 1998, quando foi criado, o Enem tinha o simples objetivo de avaliar individualmente o desempenho dos estudantes no ciclo de educação básica, além de analisar a qualidade do ensino médio no Brasil, principalmente das escolas públicas. Sendo assim, seria possível criar políticas públicas para atender melhor os estudantes.

Ao longo dos anos, o Exame foi se desenvolvendo e crescendo até ganhar o seu status atual, substituindo o vestibular tradicional em universidades públicas e privadas e adquirindo a associação de diversos programas governamentais que possibilitam o ingresso de estudantes no ensino superior.

Enem x vestibular tradicional

Os vestibulares são as provas realizadas pelas universidades públicas e privadas para selecionar os estudantes que irão ingressar em seus cursos. Então, tecnicamente, podemos dizer que o Enem é um tipo de vestibular, já que ele adquiriu essa função nos últimos anos.

A grande diferença entre o Enem e o vestibular tradicional é a de que o Exame Nacional funciona como um processo seletivo unificado. Ou seja, você realiza apenas uma prova que te possibilita a entrada em centenas de universidades em todo o país. 

Já o vestibular tradicional permite o ingresso apenas para a universidade para a qual ele é preparado. É o caso de grandes instituições, como:

  • USP;
  • Unicamp;
  • Unesp;
  • UEM;
  • UFSC;
  • UnB, dentre outras.

Por isso, o ideal é que você pesquise se a universidade que você deseja entrar aceita a nota do Exame ou aplica um vestibular próprio.

O que é treineiro do Enem?

Os treineiros são os estudantes que não concluíram e nem vão concluir o ensino médio no ano de realização do Enem, mas ainda assim desejam fazê-lo para conhecer e treinar para quando forem fazer o Exame oficialmente. 

Esses candidatos estão submetidos às mesmas regras dos outros participantes — inclusive ao pagamento da taxa de inscrição. Porém, recebem os resultados individuais um pouco depois que os demais estudantes.

Por que fazer Enem no segundo ano?

Mas se as pessoas fazem o Enem para conseguir uma vaga na universidade, por que fazer o Exame no segundo ou até mesmo primeiro ano? A resposta é simples: para você conhecer, se preparar e treinar.

As provas do Enem são extensas e, além do conhecimento, exigem certa resistência física e capacidade de concentração para serem realizadas no tempo hábil. 

Por isso, os estudantes que vêm se preparando ao longo de todo o ensino médio já sabem o que esperar e o que devem fazer para alcançarem uma boa pontuação quando forem fazer o Exame oficialmente!

Como funciona o Enem?

O Enem é um Exame extenso dividido em 4 grandes áreas de conhecimento:

  • Linguagens, Códigos e suas Tecnologias;
  • Ciências Humanas e suas Tecnologias;
  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias;
  • Matemática e suas Tecnologias.

Além disso, ele conta com uma prova de redação. Mas calma! Você não terá que fazer tudo em apenas um dia.

Apesar de ser uma longa jornada, que exige preparo físico, mental e emocional, o Enem é extremamente possível de ser realizado. Basta que você entenda tudo sobre o seu funcionamento e como se dar bem! Vamos lá?

São quantos dias de prova?

Justamente por ser uma prova extensa, o Enem é dividido em 2 dias de aplicação. São 2 domingos seguidos: no primeiro dia, os estudantes resolvem as provas de Linguagens Códigos e Suas Tecnologias, Redação e Ciências Humanas e suas Tecnologias. No segundo, são aplicadas as provas de Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias.

São quantas horas de prova?

No primeiro dia, em que o Exame é mais extenso por conter a redação, são 5h30 de prova. Já no segundo dia você terá 5 horas para responder todas as questões e assinalar o gabarito.

Os horários para entrada variam de acordo com o fuso horário do município. Verifique qual é o seu caso para não correr o risco de ficar de fora!

São quantas questões por assunto?

Cada uma das 4 áreas de conhecimento conta com 45 questões objetivas, totalizando 180 questões ao todo mais a prova de redação. Porém, como a prova é dividida em 2 dias, fica assim:

  • 1º dia: 45 questões de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias + 45 questões de Ciências Humanas e suas Tecnologias + Redação
  • 2º dia: 45 questões de Ciências da Natureza e suas Tecnologias + 45 questões de Matemática e suas Tecnologias

O que muda no Enem 2019?

O Enem 2019 não passou por grandes mudanças em relação à edição do ano anterior, mas algumas alterações foram divulgadas desde a publicação de seu edital. Confira:

1. Alarme do celular

Neste ano, o Inep divulgou que está fazendo um maior investimento em medidas de segurança para evitar fraudes. Uma delas está relacionada ao celular: o edital do Enem 2019 é categórico ao dizer que “se o celular emitir algum som durante a realização das provas, mesmo que esteja dentro da embalagem lacrada, o participante será eliminado”.

Por isso, mesmo sabendo que você irá guardar o celular na embalagem disponibilizada, lembre-se de desligá-lo e desativar todos os alarmes. Não vale a pena correr o risco de ter a sua prova zerada, né?

2. Coleta digital

Outra mudança do Enem 2019 está relacionada à coleta digital. Ela é feita desde que o Exame foi criado, por meio de uma lâmina de grafite utilizada para cada candidato.

Com o propósito de economizar nesse processo, já que são mais de 5 milhões de inscritos, neste ano a coleta digital será feita com a ajuda de uma esponja. Esse material pode ser utilizado em mais participantes, gerando menos custos.

3. Mudança na diagramação

Também com o objetivo de economizar, mas desta vez com impressão, o Inep divulgou que a diagramação das provas do Enem deste ano será diferente em relação aos anos anteriores. Em 2019, as folhas de rascunho serão menores.

Mas, calma, isso não vai te prejudicar! Você terá espaços em branco ao longo da própria prova para fazer as anotações que precisar, ok? 

Como é a prova do Enem?

O Enem é dividido em 4 provas de questões de múltipla escolha, que abordam conhecimentos das grandes áreas do Exame (Linguagens, Códigos e suas Tecnologias; Ciências Humanas e suas Tecnologias; Ciências da Natureza e suas Tecnologias; Matemática e suas Tecnologias), e 1 de redação.

Cada prova objetiva tem 45 questões. Cada questão tem 5 alternativas de resposta, representadas pelas letras A, B, C, D e E. Apenas uma das alternativas é correta. Portanto, se você assinalar duas alternativas de uma mesma questão no gabarito, essa questão será anulada em sua prova.

Por que o Enem tem vários cadernos?

O Enem tem 4 cadernos (amarelo, azul, branco e rosa), que são versões diferentes do mesmo Exame. Isso quer dizer que as questões estão organizadas de forma diferente ao longo da prova ou seja, elas são apresentadas em ordem diferente em cada uma das versões para evitar que os candidatos colem dos participantes próximos.

Por que o Enem é importante?

O Enem é importante para você entrar no curso dos seus sonhos na faculdade! Se você deseja ingressar em uma universidade pública, é importante saber que a maior parte dessas instituições já aderiram ao Enem como único vestibular por meio do Sisu. Agora, se você deseja entrar em uma universidade privada, mas precisa de bolsa ou financiamento estudantil, o Enem também oferece essa possibilidade por meio de programas como o ProUni e o Fies.

Também existem outras universidades que não fazem parte de nenhum desses programas mas aceitam a pontuação do Enem como substituição do vestibular tradicional ou complemento dele, facilitando a sua entrada.

A oportunidade de ingressar em um curso do ensino superior representa a possibilidade de expandir seus conhecimentos, criar o seu futuro e até mesmo transformar a sua vida e a das pessoas ao seu redor. Por isso, se isso for o seu sonho, não deixe de correr atrás! O Enem é a porta de entrada para isso.

Quem pode participar do Enem?

Qualquer pessoa pode participar do Enem. Porém, se você não concluiu o ensino médio e nem vai concluir no ano de realização do Exame, você não poderá utilizar a sua nota para entrar na Universidade, ainda que o seu desempenho seja positivo. 

As pessoas que realizam a prova sem concluir o ensino médio são comumente chamadas de “treineiros”, o que quer dizer que elas podem fazer o exame, mas apenas para autoavaliação.

Com qual idade posso fazer o Enem?

Não existe uma restrição de idade para a realização do Enem. Como já dissemos, o único ponto ao qual você deve estar atento é a conclusão do ensino médio. Você até pode fazer a prova se não o concluiu e nem concluirá no ano de realização, mas não poderá usar sua nota dessa edição para entrar no ensino superior.

Como se inscrever para o Enem?

As inscrições para o Enem são abertas durante um período específico, que você pode verificar no cronograma do Exame, e são totalmente online. No momento de inscrição, você deverá cadastrar uma senha que você usará para acompanhar sua inscrição, consultar local de prova, ver o seu resultado e se inscrever para o Sisu, ProUni e Fies.

É no momento de inscrição que você também poderá solicitar atendimento especializado ou específico, direcionado a deficientes físicos, idosos, gestantes e lactantes, além da utilização de nome social, caso seja necessário.

Durante a inscrição, você também deverá indicar a cidade em que deseja fazer as provas e a sua opção de idioma estrangeiro, que pode ser inglês ou espanhol.

Onde se inscrever?

As inscrições para o Enem são realizadas por meio do site do Inep. Você só precisará informar o número do seu CPF, sua data de nascimento, seu email e um telefone (pode ser fixo ou celular) que seja válido.

O Enem é pago?

Sim, para efetivar a sua inscrição no Enem é necessário pagar uma taxa. O valor varia a cada ano. Em 2019, a taxa para inscrição no Enem custou R$ 85.

Porém, se encaixando em alguns critérios você pode solicitar a isenção do pagamento da taxa. Se a sua solicitação for aprovada, a sua inscrição será confirmada logo após o preenchimento dos seus dados.

Como pagar o Enem?

Após finalizar a sua inscrição, o site do Inep emitirá uma Guia de Recolhimento da União (GRU) para você fazer o pagamento da taxa. Há um prazo para que o pagamento seja feito, então, fique atento!

Você pode pagar o Enem em qualquer agência bancária, casa lotérica ou agência do correio.

Quem tem direito à isenção?

De acordo com o Inep, 3 perfis de pessoas têm direito à isenção da taxa do Enem. Confira se você se encaixa em algum deles:

  • quem está cursando o terceiro ano do ensino médio no ano de realização do Enem em escola pública declarada ao Censo Escolar;
  • quem cursou todo o ensino médio em escola pública ou como bolsista integral de uma escola privada e tem renda familiar igual ou menor que 1 salário mínimo e meio por pessoa;
  • quem está em situação de vulnerabilidade socioeconômica, sendo de família que tem Número de Identificação Social (NIS) único e válido e renda familiar mensal de até meio salário mínimo por pessoa ou de até 3 salários mínimos.

Cumprindo esses requisitos, você deverá solicitar a isenção no prazo estipulado pelo cronograma do Exame, que costuma ser anteriormente à realização da inscrição. 

É muito importante ficar atento às datas, pois o Inep irá divulgar, também no prazo estabelecido, se a sua solicitação foi aprovada. Caso contrário, você poderá recorrer à decisão. 

Se a sua solicitação for reprovada novamente, é necessário pagar a taxa para confirmar a sua inscrição.

Como imprimir o boleto do Enem?

Logo após informar os seus dados para inscrição, será gerada a GRU, ou seja, o boleto, para o pagamento da taxa de inscrição do Enem. Basta solicitar a impressão, caso necessário!

Se você tiver perdido a sua GRU e precisar emitir a segunda via, pode fazer isso acessando a Página do Participante e fazendo o seu login.

De acordo com o Inep, o processamento do pagamento pode levar de 3 a 5 dias úteis. Por isso, não se desespere se a sua inscrição não for confirmada exatamente na hora do pagamento, ok? Aguarde o tempo necessário e confira novamente.

Como saber se estou inscrito?

Se você tiver solicitado a isenção da taxa de inscrição e a sua solicitação tiver sido aprovada, você receberá a mensagem “Inscrição concluída com sucesso” logo após finalizar a sua inscrição.

Porém, se você precisar pagar a taxa, poderá saber se a sua inscrição está confirmada após o pagamento na Página do Participante. Caso você tiver feito o pagamento e a sua inscrição não tiver sido confirmada após o período de processamento, ligue para o Inep pelo telefone 0800 616161.

Qual é cronograma do Enem?

O calendário do Enem é extenso e repleto de atividades ao longo de todo o ano até o semestre seguinte à aplicação da prova. Ele inclui desde a publicação do edital, que costuma ocorrer no início do ano, solicitação de isenção da taxa de inscrição, justificativa de ausência no Exame do ano anterior e inscrição, passando pelas solicitações de recursos especiais, até a realização da prova e divulgação dos resultados.

Como são muitas etapas e nem todo mundo sabe o que fazer em cada uma delas, nós preparamos um artigo específico sobre o cronograma para você aqui!

Quando começa a inscrição para o enem?

As inscrições para o Enem 2019 foram fechadas no início do ano. Porém, elas costumam abrir e finalizar no mês de maio. Fique atento aos prazos para não perder a sua chance de fazer a prova mais importante do ano!

Qual é a data do Enem 2019?

As provas do Enem deste ano serão aplicadas nos dias 3 e 10 de novembro de 2019.

O que estudar para o Enem?

O Enem cobra os conhecimentos aprendidos ao longo do ensino médio. Porém, é claro que não é tudo o que você estudou que vai cair!

Alguns temas costumam aparecer com mais frequência nas provas. Por isso, é importante que você fique atento a eles.

Separamos alguns assuntos que você pode dar mais atenção em cada área de conhecimento abaixo. Confira!

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

Em Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, você responderá questões sobre português e literatura, a língua estrangeira que você optou no momento da inscrição (inglês ou espanhol), tecnologias da informação e comunicação, educação física e artes.

Alguns pontos importantes para você focar são:

  • interpretação de texto;
  • gêneros textuais (quais são eles e suas características);
  • figuras de linguagem;
  • obras literárias clássicas no Brasil;
  • movimentos literários e artísticos (quais são e suas características);
  • esportes;
  • música.

Ciências Humanas e suas Tecnologias

Em Ciências Humanas e suas Tecnologias são cobrados conhecimentos relacionados às áreas de história, geografia, sociologia e filosofia.

Não deixe de focar em:

  • períodos importante para a história do Brasil (colônia, república, Era Vargas, ditadura militar, era populista) e geral (Idade Média e Moderna, Revolução Industrial, I e II Guerra Mundial, Nazismo e Fascismo, Liberalismo e Guerra Fria);
  • geopolítica;
  • agricultura brasileira;
  • meio ambiente;
  • migrações;
  • globalização;
  • iluminismo;
  • relações de trabalho;
  • pensadores da Grécia Antiga.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias

Já em Ciências da Natureza e suas Tecnologias você será cobrado acerca das disciplinas de biologia, química e física.

Fique atento a pontos como:

  • óptica;
  • eletricidade;
  • instalações residenciais;
  • mecânica;
  • estequiometria;
  • soluções
  • oxidações;
  • eletroquímica
  • sustentabilidade;
  • evolução;
  • genética;
  • citologia.

Matemática e suas Tecnologias

Ufa! Chegamos em matemática. Aqui, você pode focar em matérias como:

  • regra de três;
  • razões e proporções;
  • interpretação de gráficos;
  • porcentagem;
  • geometria.

Redação

Na prova de redação do Exame, você precisará produzir um texto dissertativo-argumentativo sobre o tema apresentado na proposta, que só é revelado no momento da prova.

A sua redação deve conter os seguintes elementos:

  • 1 parágrafo de introdução, no qual você apresentará o tema discutido e apontará a sua tese, ou seja, ponto de vista.
  • 2 parágrafos de argumentação, nos quais você deverá defender a sua tese com argumentos consistentes.
  • 1 parágrafo de conclusão, no qual você deverá finalizar o texto e apresentar uma proposta de intervenção para o problema abordado.

Apesar de não ter a devida atenção de grande parte das pessoas, a redação tem um peso importante para a nota final do Enem, podendo até mesmo ser um fator de decisão para a aprovação no curso dos sonhos.

Por isso, não deixe se dedicar para essa etapa. E como fazer isso? Lendo e praticando bastante!

Atualmente, existem plataformas que te ajudam com essa etapa do Enem. Funciona assim: a plataforma disponibiliza uma série de temas atuais sobre os quais você pode escrever. Você seleciona qual deseja, escreve e envia para a correção. Um corretor especializado devolve a sua redação com a correção baseada nos critérios do Enem e com comentários.

Assim, você consegue ir praticando ao longo do ano e acompanhando o seu desenvolvimento. Muito bom, né? Dá para treinar até ficar craque para o dia da prova oficial!

O que esperar do Enem 2019?

O Enem 2019 não deve sofrer tantos impactos quanto às matérias abordadas. Por outro lado, de acordo com Daniel Machado, fundador da Imaginie, é pouco provável que seja exigido um tema de cunho muito social na redação. Para ele, temas relacionados a patriotismo e agressividade na escola têm chances de serem abordados.

Nós preparamos um artigo com 30 possíveis temas de redação junto a nossos especialistas. Confira quais são eles e um resumo para cada um para não ficar despreparado!

Onde estudar para o Enem?

Muitas pessoas acreditam que a única maneira de estudar para o Enem é da forma tradicional: pegando os livros e se debruçando em leituras longas. Porém, atualmente, existem formas mais práticas e divertidas de estudar para o Exame!

É evidente que é importante ter uma rotina de estudos consistente, misturando formas tradicionais e outras nem tanto de aprender.

Sabia que você também pode aprender pela internet? Existem dezenas de aplicativos e sites, como o próprio Blog da Imaginie, que te ajudam a se preparar para o Enem com conteúdos diários produzidos por especialistas.

 

Você também pode estudar pelo YouTube! No canal da Imaginie, você encontrará vídeos semanais sobre os mais diversos assuntos para aumentar o seu repertório sociocultural, fazer uma excelente redação e ir bem nas outras provas.

Outra forma de aprender é ouvindo podcasts! Esse é um formato de conteúdo que vem crescendo cada vez mais, e te ajuda a aprender enquanto você está fazendo outras atividades: indo para a escola, fazendo exercícios na academia, viajando, dentre outros. Quer um exemplo? Confira os episódios do Dá Ideia!

Por fim, existem plataformas online para você treinar a sua redação e fazer simulados. Você recebe os seus resultados mais rápido, consegue acompanhar a melhora do seu desempenho em gráficos e ainda se prepara para as próximas edições do Exame, que serão online!

Onde vou fazer a prova do Enem?

Para conferir o seu local de prova, você deve acessar o seu cartão de confirmação de inscrição do Enem. Ele está disponível na Página do Participante, e você deve acessá-la com o seu CPF e senha. Assim, você terá em mãos todas as informações que precisa sobre o endereço e o horário da sua prova.


O que levar no Enem?

Existem alguns itens que são indispensáveis para você fazer o Enem. São eles:

  • caneta esferográfica de tinta preta e fabricada em material transparente;
  • um documento oficial de identificação, que deve ser original e com foto.

Nós também aconselhamos que você leve alguns outros itens importantes:

  • o Cartão de Confirmação da Inscrição, para você chegar no endereço e no horário certo;
  • um lanche para se alimentar durante a prova (são 5h30!), que precisa estar com a embalagem fechada;
  • uma garrafa de água, que precisa ser transparente e estar sem rótulos.

Se você precisar comprovar que foi fazer o Enem, não se esqueça de levar a Declaração de Comparecimento impressa, ok?


O que não levar no Enem?

Também existem alguns itens proibidos, que você não pode levar de jeito nenhum para as provas do Enem. São eles:

  • borracha, lápis, lapiseira e corretivo;
  • bonés, boinas e chapéus;
  • livros e manuais;
  • régua;
  • chave com alarme;
  • óculos escuros;
  • fones de ouvido;
  • caneta de material que não seja transparente;

Na dúvida, deixe em casa o que você não for precisar!

O Enem é difícil?

Existem diversas questões que tornam o Enem um Exame complexo: o tempo de prova, a quantidade de questões, a disciplina necessária para a realização das provas, dentre outras.

Porém, os conhecimentos exigidos ao longo da prova são aqueles que você deve ter aprendido durante o ensino médio. 

Por isso, podemos dizer que o Enem não é uma prova fácil, mas também não é impossível. Se você estiver bem preparado fisicamente, mentalmente e emocionalmente, com certeza conseguirá a pontuação que precisa para passar no curso dos seus sonhos.

Não se trata apenas de saber o que vai cair! Trata-se também de ter resiliência para lidar com as 5h30 de provas, estratégia para a organização e resolução das questões e prática para saber o que está por vir.

A principal dica é: esteja preparado. Assim, você irá tirar o Enem de letra!

Como ir bem no Enem?

Não existe uma “receita de bolo” para ir bem no Enem. Porém, você pode adotar algumas boas práticas que, com certeza, impactarão positivamente em seus resultados. Confira quais são elas:

1. Refaça as provas anteriores

Apesar de as provas serem diferentes a cada nova edição, grande parte das matérias abordadas costumam ser comuns. Por isso, refazendo as provas dos anos anteriores, você consegue se preparar para o que vem pela frente!

Além disso, você vai acostumando o seu corpo e a sua mente para a quantidade de questões que precisa resolver e o tempo que terá para isso.

Lembra que falamos sobre a importância de não apenas saber resolver as questões, mas ter resiliência para lidar com a maratona que é o Enem? Então, refazer as provas anteriores é uma forma de treino para isso.

2. Pratique a redação

Não dá para se dedicar apenas às provas objetivas do Enem e deixar a redação de lado! A produção textual é muito importante e grande responsável por diminuir ou aumentar a sua nota final.

Mas como estudar redação? Simples: praticando! Escrevendo várias redações ao longo do ano e analisando o que você precisa melhorar, você consegue perceber uma melhoria enorme no seu desempenho e, consequentemente, fica mais preparado para o grande dia.

Por isso, dê atenção para essa prova e não deixe de inserir a prática de redação em sua rotina de estudos.

3. Comece pelas questões mais fáceis

Como você verá mais para frente neste artigo, as provas objetivas do Enem são corrigidas de acordo com uma metodologia chamada Teoria de Resposta ao Item, também conhecida como TRI. Sendo assim, a coerência das suas respostas importa mais do que a quantidade de acertos.

Ficou confuso? Vamos deixar mais fácil. A TRI é uma metodologia que busca analisar os resultados não apenas quantitativamente, mas também qualitativamente. Isso quer dizer que ela busca entender mais a fundo o seu desempenho do que uma prova em que a pontuação é gerada a partir de quantas questões você acertou.

Para isso, ela classifica as questões em graus de dificuldade. Como isso é feito? Bom, as questões do Enem são feitas por centenas de estudantes anteriormente à aplicação das provas. A partir disso, é possível entender quais são as questões mais fáceis e quais são mais difíceis.

Agora, pense com a gente: faz sentido uma pessoa acertar uma série de questões difíceis de determinada matéria e errar todas as fáceis? Não, né? Afinal, quanto mais difícil a questão, maiores são as chances de errá-la.

Então, no Enem funciona assim: não adianta você acertar um monte de questões difíceis e errar as mais fáceis. A sua nota não será mais alta por isso. Pelo contrário, ela poderá ser menor do que alguém que acertou as questões mais fáceis e errou as difíceis. Isso porque é necessário ter coerência em suas respostas para conseguir uma boa pontuação.

E o que tudo isso tem a ver com essa dica? Simples: se você perde muito tempo resolvendo as questões mais complexas primeiro, é provável que se desespere quando perceber que o tempo de prova está acabando e saia chutando tudo o que vê pela frente.

Se fizer isso, é bastante provável que você vá errar várias questões fáceis e perder muitos pontos por isso!

Portanto, a nossa dica é: comece resolvendo as questões que você tem certeza da respostas e deixe as mais complexas para o final. É melhor garantir as questões fáceis para ter uma boa pontuação.

Dica de ouro, hein?

4. Seja organizado

Para o Enem, organização é fundamental. Isso vale tanto para o período de preparação quanto para a prova em si.

Durante a preparação, você precisa manter uma rotina de estudos organizada para dar conta de todos os conteúdos que precisa estudar, sem se desesperar. Elabore um cronograma, mantenha seus horários de estudo e faça os simulados para os quais se planejou.

Já durante a prova, você precisa se organizar com o tempo disponível para a resolução das questões e a elaboração da redação. Assim, você não o corre o risco de entrar no desespero no final das provas.

5. Gaste sua energia no dia anterior

Todo mundo sabe que no dia anterior à prova não é para estudar, certo? Afinal, isso poderá aumentar a sua ansiedade e causar nervosismo. Porém, dormir o dia inteiro também não é uma boa opção!

Imagine a seguinte situação: você passa o sábado anterior ao Enem inteiro assistindo netflix e dormindo. Quando chega a noite, momento em que você precisa ir dormir cedo e descansar bem, bate aquela falta de sono e você começa a ficar ansioso pois ficará cansado para a prova.

Nada bom, certo?

Então, aproveite o dia anterior ao Enem para gastar as suas energias. Pratique algum esporte, se dedique a algum hobbie, saia para passear durante o dia… lembre-se que você precisa dormir cedo e ter uma boa noite de sono para ter suas energias renovadas no dia seguinte!

Como a nota do Enem é calculada?

A pontuação das provas objetivas do Enem que incluem Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Ciências Humanas e suas Tecnologias, Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias é calculada de acordo com a Teoria de Resposta ao Item (TRI). Já para dar a nota da redação, o corretor avalia o texto com base em 5 critérios. 

Entenda melhor sobre como as notas são calculadas:

Avaliação das provas objetivas: TRI

A TRI é uma metodologia que leva em consideração o grau de dificuldade das questões para atribuir a nota aos participantes da prova. Assim, ela busca apurar, de fato, como está o desempenho dos estudantes.

Trata-se de uma maneira de analisar o nível de domínio de cada pessoa sobre determinada matéria

Sendo assim, as questões de uma prova não possuem exatamente o mesmo valor. Além disso, pessoas que acertaram a mesma quantidade de questões podem tirar notas diferentes. Isso porque a TRI avalia a coerência pedagógica das respostas, ou seja, espera que você acerte as questões fáceis, médias e difíceis, nessa ordem.

Afinal, não faz sentido você acertar todas as questões difíceis e errar as mais fáceis de uma mesma matéria, certo? Então, o cálculo da nota de acordo com a TRI leva isso em consideração.

Mas como a correção consegue saber quais são as questões mais fáceis e as mais difíceis? Bom, para funcionar, as questões precisam passar por testes antes de serem aplicadas na prova oficial. Isso quer dizer que centenas de estudantes já fizeram as questões usadas no Enem anteriormente!

A partir do desempenho alcançado no teste, é possível calibrar as questões. Ou seja, entender o nível de dificuldade que os estudantes têm para resolvê-la e saber também se existe algum problema com determinada questão — a pergunta pode estar mal escrita, por exemplo.

Depois de serem calibradas, as questões podem ser levadas para a prova oficial. Aí, o que irá determinar a sua nota é a coerência dos seus acertos. Assim, é possível analisar como está o seu desempenho e penalizar as pessoas que, de fato, fizeram a prova só no “chute”.

Avaliação da redação: 5 competências

Já a avaliação da redação é bem simples de entender. Ao ler o seu texto, o corretor irá analisar qual é o seu nível de desempenho de acordo com 5 competências determinadas pelo próprio Enem. São elas:

  • Competência I: demonstrar domínio da norma culta da língua portuguesa;
  • Competência II: compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo;
  • Competência III: selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista;
  • Competência IV: demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação;
  • Competência V: elaborar proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural;

Cada uma dessas competências vale 200 pontos, totalizando os 1000 pontos da redação. O corretor analisará qual é o seu nível de desenvolvimento em cada uma delas. Ele pode ser:

  • desclassificado, o que fará com que você zere a pontuação na competência;
  • precário, que te garantirá 40 pontos na competência;
  • insuficiente, que resultará em 80 pontos;
  • mediano, garantindo 120 pontos na competência;
  • bom, o que quer dizer que você alcançou 160 pontos;
  • ótimo, que o nível máximo, garantindo 200 pontos na competência.

Então, para fazer uma redação nota 1000 no Enem é necessário que você consiga atingir o nível ótimo em cada uma das 5 competências. Está preparado?


Quando sai o resultado do Enem?

O gabarito das questões objetivas do Enem 2019 já está divulgado. Porém, os resultados individuais, ou seja, a pontuação que você alcançou em cada prova, será divulgado apenas em janeiro de 2020, com data a confirmar.

Para os treineiros, os resultados individuais são liberados em março de 2020.

Como ver a nota do Enem?

Quando os resultados individuais do Enem forem divulgados, você poderá ver a sua nota seguindo os seguintes passos:

  1. entre no site do Enem;
  2. acesse a “Página do Participante”;
  3. resolva o desafio solicitado;
  4. faça o seu login com CPF e senha quando solicitado;
  5. pronto! é só acessar a opção para visualizar a sua nota.

Qual nota é boa?

A percepção da nota do Enem como boa ou ruim varia de acordo com o curso desejado. Se você quer passar em um curso mais concorrido no Sisu, por exemplo, é provável que uma nota boa signifique uma pontuação mais alta do que em um curso menos concorrido.

No geral, a nota mínima exigida em programas como o ProUni e o Fies é uma média de 450 pontos. Porém, a sua classificação dependerá da nota de corte do curso que você deseja entrar. No Sisu, por exemplo, existem casos em que ela é 560 e outros em que é 900.

Por isso, pesquise sobre as notas de corte anteriores no curso em que você deseja entrar para ter uma ideia da pontuação que você precisa alcançar.

Onde usar a nota do Enem?

Você pode usar a nota do Enem para entrar em universidades públicas e privadas. Em alguns casos, a própria universidade solicita o seu desempenho para substituir ou complementar o vestibular tradicional. Em outros, a instituição participa de algum programa governamental, como o Sisu, Fies e o ProUni. Vamos falar sobre eles daqui a pouco!

Como faço para entrar na faculdade com a nota do Enem?

Atualmente, a nota do Enem é amplamente utilizada para a entrada em universidades por meio das plataformas desenvolvidas pelo governo. Conheça quais são:

Sisu

O Sisu é um sistema em que as universidades públicas disponibilizam as vagas disponíveis nos mais variados cursos. Os candidatos podem utilizar a nota do Enem para fazer a inscrição no curso. A classificação é feita de acordo com a pontuação, exclusivamente, e os candidatos que conseguem a vaga podem se matricular na universidade de acordo com o cronograma próprio da instituição.

As inscrições no Sisu abrem 2 vezes por ano, no primeiro e no segundo semestre. Fique atento ao cronograma para não perder sua chance!

Prouni

O ProUni é um programa governamental que distribui bolsas parciais e integrais para estudantes que querem fazer a graduação em uma universidade privada. Assim como acontece no Sisu, as universidades disponibilizam as vagas na plataforma do programa e os interessados podem se inscrever e aguardar a classificação.

As inscrições também ocorrem no primeiro e no segundo semestre do ano. 

Fies

O Fies é um programa de financiamento estudantil para estudantes que querem estudar em uma universidade privada. Sendo assim, os participantes só começam a pagar as mensalidades após finalizar a graduação. Existem 2 modalidades: uma sem juros e outra com juros baixos. A opção pela modalidade depende da renda familiar do candidato.

As inscrições para o Fies também são abertas a cada semestre do ano.

Estudar em Portugal

Por fim, também é possível utilizar a sua pontuação do Enem para estudar em Portugal. A partir de um acordo firmado com o Inep, atualmente 42 instituições portuguesas possibilitam a matrícula de estudantes brasileiros usando a nota do Enem. São elas:

  • Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário (Cespu)
  • Escola Superior Artística do Porto (ESAP) 
  • Escola Superior de Enfermagem de Coimbra (ESEnfC)
  • Escola Superior de Saúde do Alcoitão (ESSA)
  • Escola Superior de Saúde Norte da Cruz Vermelha Portuguesa (ESSNorteCVP)
  • Instituto de Estudos Superiores de Fafe (IESFafe)
  • Instituto Leonardo da Vinci (ILV/Estal)
  • Instituto Politécnico da Lusofonia (Ipluso)
  • Instituto Politécnico da Maia (Ipmaia)
  • Instituto Politécnico de Beja (IPBeja)
  • Instituto Politécnico de Bragança (IPB)
  • Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB)
  • Instituto Politécnico de Coimbra (IPC)
  • Instituto Politécnico de Guarda (IPG)
  • Instituto Politécnico de Leiria (IPLeiria)
  • Instituto Politécnico de Portalegre (IPPortalegre)
  • Instituto Politécnico de Santarém (IPSantarem)
  • Instituto Politécnico de Setúbal (IPS)
  • Instituto Politécnico de Viseu (IPV)
  • Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA)
  • Instituto Politécnico do Porto(IPP)
  • Instituto Universitário da Maia (Ismai)
  • Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida (Ispa)
  • Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE)
  • Universidade Autônoma de Lisboa (UAL)
  • Universidade Católica Portuguesa (UCP)
  • Universidade da Beira Interior (UBI) 
  • Universidade da Madeira (UMa)
  • Universidade de Algarve (UAlg) 
  • Universidade de Aveiro (UA)
  • Universidade de Coimbra (UC)
  • Universidade de Lisboa (ULisboa)
  • Universidade do Minho (Uminho)
  • Universidade do Porto (U.Porto)
  • Universidade dos Açores (UAC) 
  • Universidade Europeia (UE)
  • Universidade Fernando Pessoa (UFP)
  • Universidade Lusíada (ULusíada)
  • Universidade Lusíada-Norte (ULusíadaNorte)
  • Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (ULusófona)
  • Universidade Lusófona do Porto (ULP)
  • Universidade Portucalense (UPT)

 

As informações sobre inscrição variam de acordo com cada Universidade. Por isso, procure conhecer melhor sobre cada uma delas e quais são os critérios para entrada!

É possível usar a nota do Enem de anos anteriores?

Para o Sisu, você precisará da nota do Enem do ano anterior para fazer a sua inscrição. Porém no Fies você pode utilizar a nota de alguma edição do Exame realizada a partir de 2010 para fazer a sua inscrição. Você também pode utilizar a pontuação do Enem de anos anteriores (a partir de 2010) para se inscrever no ProUni, porém, apenas na fase de ocupação das bolsas remanescentes. 

E aí, restou alguma dúvida sobre o Enem? Se sim, deixe aqui nos comentários para te ajudarmos! Ah, aproveite e se cadastre em nossa newsletter para não perder nenhum conteúdo sobre a prova. Boa sorte!


Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Deixe um comentário

avatar

Posts relacionados

Plano de estudos para o Enem 2020

Quer um guia para se preparar para o Enem 2020? Baixe o nosso plano de estudos gratuitamente aqui!

Mapa mental grátis

Decorar as regras de acentuação gráfica não é uma tarefa fácil, certo? Mas ela se torna um pouco mais simples com um mapa mental!

Faça seu cadastro para receber nossa Newsletter