Seus estudos não podem parar. E como incentivo, receba 15% de desconto com o cupom  ESTUDOEMCASA 

Conheça todos os mistérios do adjunto adnominal

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Você já ouviu falar em adjunto adnominal? Essa função sintática com esse nome grande e expressivo assim é um termo acessório da oração.

Termos acessórios, como assim? Calma aí! Não criemos pânico! Neste artigo vamos explicar de forma bem simples e clara todos essas terminologias sintáticas, para que você consiga entender de uma vez por todos os mistérios do adjunto adnominal! Bora lá?

O que são termos acessórios?

Bom, antes de esmiuçarmos os segredos do adjunto adnominal é necessário entender o que são termos acessórios.

De acordo com Cegalla, “termos acessórios são os que desempenham na oração uma função secundária, qual seja a de caracterizar um ser, determinar os substantivos, exprimir alguma circunstância.”.

Explicando de uma maneira mais clara, os termos acessórios são aquelas palavras e expressões que não possuem o mesmo valor de importância para a oração, em muitos casos, são dispensáveis sem causar prejuízo à sentença.

São classificados como termos acessórios os adjuntos adnominais, os adjuntos adverbiais, o aposto e o vocativo. 

Porém, nossa missão neste artigo é tratar dos adjuntos adnominais. 

O que é adjunto adnominal?

De uma coisa você já sabe: o adjunto adnominal é um termo acessório. Agora, vamos trabalhá-lo de maneira mais aprofundada.

Os adjuntos adnominais são palavras que flutuam e acompanham os substantivos na oração, especificando, explicando ou determinando esses substantivos. Importante mencionar que os adjuntos adnominais prendem-se ao substantivo sem qualquer intermediação de verbos. Quer ver um exemplo?

  • “Meu irmão usa roupas bonitas”. Neste caso, as palavras “meu” e “bonitas” flutuam em torno dos nomes “irmão” e “roupas” e são, portanto, adjuntos adnominais.

Quais classes gramaticais podem constituir adjuntos adnominais?

Você está familiarizado com as classes morfológicas, não é mesmo? Os substantivos, adjetivos, verbos, pronomes, preposições e mais outras tantas são as classes morfológicas. 

O adjunto adnominal é uma função sintática e não uma classe morfológica. Ele é, no entanto, composto por classe de palavras, que podem ser adjetivos, locuções ou expressões adjetivas, orações adjetivas, artigos, numerais e pronomes.

Veja exemplo de cada um cada uma dessas classe na função sintática de adjunto adnominal.

  • adjetivos: olhos negros, olhos felinos
  • locução adjetiva: olhos de cigana oblíqua e dissimulada (Machado de Assis);
  • artigo: os olhos, uns olhos;
  • numeral: trinta olhos.
  • oração adjetiva: olhos que atraem.

Os pronomes que compõem os adjuntos adnominais, podem ser:

  • possessivos: teus olhos;
  • demonstrativos: esses olhos;
  • indefinidos: tais olhos;
  • interrogativos: quais olhos?;
  • relativos: olhos cujas cores brilham.

Muitas vezes os adjuntos adnominais são confundidos com outros termos da oração. Por isso, vamos explicar para vocês as principais diferenças entre adjuntos adnominais, complementos nominais, predicativos e apostos especificativos.

Quais as diferenças entre adjuntos adnominais e complementos nominais?

Como mencionado anteriormente, os adjuntos adnominais são termos que se prendem ao substantivo, especificando-o, explicando-o, determinando-o etc.

Exemplos:

  • “Quase todos os brasileiros já se decepcionaram com o atual governo.” Neste caso, “quase todos os” está diretamente ligado ao substantivo “brasileiros”. 
  • Os anéis prateados foram roubados.” Neste caso, “os” e “prateados” são adjuntos adnominais pois orbitam o substantivo concreto “anéis”.

Já o complemento nominal é o termo da oração que completa, dentro da sentença, o significado de um adjetivo, de um advérbio ou de um substantivo sempre abstrato, por intermédio de uma preposição obrigatória. 

Exemplos: 

  • “Maria estava consciente de tudo.” Neste caso, “consciente” é adjetivo e “de tudo” completa seu sentido.
  • “A professora agiu favoravelmente aos alunos.” Aqui, “favoravelmente” é um advérbio de modo e “aos alunos” completa seu sentido.
  • “A construção do prédio foi considerada um erro.” Neste caso, “do prédio” é um complemento adnominal porque “prédio” é um elemento paciente na oração, ele sofre a ação de ser construído.

Quais as diferenças entre o adjunto adnominal e predicativos (do sujeito e do objeto)?

Enquanto o adjunto adnominal é um termo acessório da oração, os predicativos aproximam-se do termos essenciais, uma vez que caracterizam sujeitos ou objetos. Vamos ver alguns exemplos de predicativos para que não haja dúvidas, ok?

Exemplos de predicativo do sujeito:

  • Minha amiga é inteligente.

No caso acima, o termo “inteligente” é um predicativo essencial, já que se retirarmos esse termo da oração ela ficará sem entendimento. 

No entanto, quando dizemos:

  • Minha amiga inteligente está feliz.

Neste caso, “inteligente” passa a ser um termo integrante do sujeito, pois não está ligado por um verbo e é, portanto, classificado como um adjunto adnominal. Perceba que se você retirar esse termo da oração ela não sofrerá prejuízo, será possível entender que tenho uma amiga que está feliz.

Quais as diferenças entre o adjunto adnominal e aposto especificativo?

O aposto é também um termo acessório que se junta a um substantivo para explicar, enumerar, resumir ou especificar esse substantivo. Muitíssimo parecido com o conceito de adjunto adnominal, não é mesmo? Então, como distinguir um do outro?

Vamos de exemplo, para diferenciar os dois, pode ser?

Exemplos:

  • “Cidadãos de Roma pedem asilo na Grécia.”

Bom, neste caso, é possível substituir “de Roma” por um adjetivo de mesmo valor: “romano”, além disso o “de” é uma preposição (cidadãos oriundos de), portanto, “de Roma” é um adjunto adnominal.

  • “A cidade de Roma foi incendiada por Nero.”

Já neste caso, “cidade” corresponde à “Roma”, uma vez que Roma não tem uma cidade, pois ela é a própria cidade. Portanto, “Roma” é um aposto especificativo da palavra “cidade”.

Geralmente, os locais públicos são expressões que indicam apostos especificativos com frequência. Veja alguns exemplos: Galeria do Ouvidor, Rua da Bahia, Rua dos Timbiras, Avenida Santos Dumont, Praça Duque de Caxias.

Bem tranquilo de ser entendido, não é mesmo?

Esperamos que você absorva todo o conhecimento exposto neste post sobre adjunto adnominal e possa se sair muito bem em sua prova de português e redação. Caso você queira saber mais mistérios sobre a língua portuguesa, dê uma olhada em nosso conteúdo sobre pronomes, eles são peças essenciais em qualquer gênero textual!

Autor

  • Yasmine Diniz

    Bacharel em Direito. Graduanda de Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais. Amante da educação e fã de Friends.

    View all posts

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

1 comentário em “Conheça todos os mistérios do adjunto adnominal”

  1. Avatar

    Muito boa explicação. Tenho certeza que irá me ajudar na interpretação de texto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

5 × dois =

Posts relacionados

[Ebook]

7 dicas para dar um gás nos estudos e aprender mais rápido

Está se preparando para o Enem e demais vestibulares e quer saber como aprender mais rápido? Então este ebook foi feito para você. Nele você encontra 7 dicas quentes para dar um gás nos estudos!

[Ebook]

Melhorando o seu Repertório Sociocultural

Quer melhorar o seu repertório sociocultural, mas não tem ideia de como fazer isso? Então este ebook foi feito para você! Nele você vai encontrar várias fontes para enriquecer sua redação!

  JÁ COMEÇOU!  
22/07
ÀS 18H

Ative o sininho de notificações, participe e receba ao vivo cupons de até  50% de desconto! 
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

Imaginie para todos: democratizando o ensino de redação no Brasil

Se você é um aluno de escola pública, agora pode estudar para o Enem de graça com a Imaginie. Conheça melhor o projeto Imaginie para todos!

Calendário do vestibular 2021: Confira as datas dos principais processos

Ficou confuso na hora de pesquisar sobre os vestibulares que quer fazer? Teve dificuldade para encontrar as informações? Achou tudo muito desorganizado? Então este calendário é para você!

[Infográfico gratuito]

O que cai
em cada disciplina do Enem?

Você está perdidinho sobre o que estudar para o Enem? Saiba quais são as matérias mais cobradas em cada disciplina neste infográfico gratuito que preparamos para você!

Mapa mental grátis

Decorar as regras de acentuação gráfica não é uma tarefa fácil, certo? Mas ela se torna um pouco mais simples com um mapa mental!

Plano de estudos para o Enem 2020

Quer um guia para se preparar para o Enem 2020? Baixe o nosso plano de estudos gratuitamente aqui!

Mapa mental grátis

Decorar as regras de acentuação gráfica não é uma tarefa fácil, certo? Mas ela se torna um pouco mais simples com um mapa mental!

Folha de redação guiada: produza um texto nota 1000!

Criamos esse modelo de redação guiada com dicas para você acertar na hora de fazer a sua própria produção textual para o Enem 2020!

Como ter uma rotina de estudos produtiva?

Aprenda técnicas para aprender mais em menos tempo!

Faça seu cadastro para receber nossa Newsletter