Seus estudos não podem parar. E como incentivo, receba 15% de desconto com o cupom  ESTUDOEMCASA 

Entenda o que é o tempo verbal e conheça quantos e quais existem no português

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Um dos assuntos considerados mais difíceis pelos estudantes é o tempo verbal. Isso porque ele envolve as famosas conjugações verbais, que são várias.

Dentro do português, uma das classes gramaticais de maior importância é a do verbo, de fato. E sim, essa classe está atrelada há várias flexões, modos e tempos verbais, mas ela não é nenhum bicho de sete cabeças. 

Não acredita? Então prepare-se porque neste post vamos te mostrar como o tempo verbal é uma matéria super tranquila. E assim, você vai mandar super bem se ela por acaso aparecer em sua prova de português do vestibular ou Enem! Basta seguir na leitura e conferir!

O que é o tempo verbal?

O tempo verbal corresponde às flexões temporais que o verbo sofre. Ou seja, quando falamos em presente, pretérito (passado) e futuro, estamos lidando com os tempos verbais.

Antigamente, a maneira com a qual os professores davam essa matéria estava muito envolvida com o método de decorar as desinências de cada tempo. E essa é uma estratégia muitíssimo cansativa, já que os alunos tinham que de fato ir conjugando cada verbo, o que, cá para nós, nem sempre funciona. E quando funcionava, na maioria das vezes, era só para fazer a prova, logo depois o conteúdo já sumiu da memória.

O segredo para aprender qualquer matéria é entender o seu funcionamento e não apenas decorar aquele conteúdo para fazer qualquer que seja a prova, é entender a estrutura por trás de uma simples regra. 

Portanto, antes de contar mais detalhadamente sobre os tempos verbais, vamos primeiro te mostrar o que é um verbo.


O que é o verbo?

O verbo é uma classe gramatical bastante dinâmica que pode exprimir ações, estados ou fenômenos da natureza. Veja alguns exemplos para entender melhor:

  • “Todos parecem meio loucos.” O verbo “parecer” neste exemplo é um verbo de ligação e, portanto, indica um estado: “meio loucos”. 
  • Choveu muito ontem à noite.” Nesta oração, o verbo é “choveu” e ele indica nada mais nada menos que um fenômeno da natureza, que não depende de ninguém, ou seja, de nenhum sujeito (ser animado) para acontecer.
  • “Maria corre pela manhã.” Neste caso, o verbo é “correr” e indica de fato uma ação que Maria faz pela manhã. Veja que essa ação é uma escolha de Maria e ela tem o poder de começar e parar de fazê-la. Esses verbos são também conhecidos como significativos. 

Os verbos também recebem outras classificações: eles podem ser significativos ou não significativos.

Verbos significativos

Os significativos podem ser de três diferentes tipos. Confira cada um desses tipos a seguir:

1. Intransitivos

Esses são verbos completos em si mesmos e não necessitam de complementação. Veja um exemplo desse tipo de verbo:

  • “Maria correu muito.”

2. Transitivos diretos

Esses são verbos que exigem uma complementação verbal direta, ou seja, sem uma preposição. Vamos ver um exemplo:

  • “Não recebo dinheiro nenhum.”

3. Transitivos indiretos

Esses são verbos que exigem uma complementação indireta, ou seja, as palavras ou termos que acompanham o verbo deverão vir antecedidas por uma preposição. Vejamos um exemplo:

  • Duvidava da riqueza dela.”

Verbos não significativos

Os verbos não significativos são chamados de verbos de ligação, eles servem não como elementos centrais de oração ou período, mas sim como pontes entre o sujeito e o seu predicativo. Veja um exemplo:

  • “Maria é inteligente.” Neste exemplo o verbo “é” é chamado de verbo de ligação, ele possui a função somente de fazer a ponte entre o sujeito “Maria” e “inteligente”, que é a característica, ou seja, o predicativo.

Além de tudo isso, os verbos são ainda a classe gramatical dentro do português que apresenta o maior número de flexões em tempo, modo, número, pessoa e voz. E agora que você conhece um pouquinho melhor a estrutura de um verbo já é capaz de absorver melhor o que é o tempo verbal. 

Quais tempos verbais existem no português?

Bom, dentro do português existem três principais tempos verbais, que são o presente o pretérito (passado) e o futuro. Vamos a seguir te mostrar mais detalhadamente cada um deles.  

Porém, antes disso, é necessário que você compreenda que cada um desses três tempos possuem as suas desinências modo-temporais, ou seja, as terminações características de cada tempo que são ligadas ao radical de cada verbo.

Mas afinal, o que é radical e o que são desinências? 🤨

Bem, o verbo é composto por um radical, que é uma parte invariável, e suas desinências, que podem variar de acordo com os tempos verbais. Confira um exemplo:

  • “Maria amou João”. Nesse exemplo, o verbo “amar” está indicando uma ação que aconteceu no passado. Bom o radical do verbo em questão é – am, porque apenas essa partezinha nunca vai mudar, mas o resto pode e vai mudar. Nesse caso, usamos a desinência – ou, que representa um dos modos passados, mas existem outras como – ei (amei), – am (amam), etc.

No caso acima, a desinência diz respeito ao verbo “amar” que corresponde à primeira conjugação -ar. Então, todos os verbos que no infinitivo terminarem com -ar e forem regulares terão as mesmas desinências. Mas os verbos com a segunda e terceira conjugações, -er (comer, correr etc.) e -ir ( partir, dividir etc.), respectivamente, apresentarão as desinências correspondentes à sua conjugação.  

Agora sim, você está preparado para compreender cada tempo de maneira mais aprofundada! Vamos lá?

1. Presente

O tempo presente fala de coisas que estão acontecendo agora, no momento atual, são situações que acontecem durante o momento exato da fala. Veja um exemplo:

  • “Marta chuta a bola para o gol.” A desinência verbal -a representa que “Marta”, terceira pessoa do singular (ela), faz a ação de chutar a bola no momento exato em que o narrador fala sobre o lance.

2. Pretérito (passado)

O pretérito ou, como é mais conhecido, passado, indica os fatos e eventos que já aconteceram em relação ao momento da fala. Ele pode ser de 3 diferentes maneiras. Veja cada uma delas com mais detalhes.

Pretérito perfeito

O pretérito perfeito indica uma ação completamente finalizada. Confira um exemplo para entender melhor:

  • “Marta chutou a bola.” A desinência que representa que o verbo está no pretérito perfeito é -ou. A partir dessa desinência é possível perceber que o verbo está conjugado na terceira pessoa do singular (ela) e indica um fato que está completamente finalizado.

Pretérito imperfeito

O pretérito imperfeito indica uma ação passada não finalizada completamente, uma ação duradoura do passado ou ainda uma ação que costumava acontecer com frequência no passado. Veja um exemplo:

  • “Antes marta segurava muito a bola, hoje mais madura aprendeu a passar a bola para as colegas de time.” A desinência que indica que o verbo “segurar” está no pretérito imperfeito é: -ava e indica também que o verbo está conjugado na terceira pessoa do singular. Essa desinência está indicando um hábito que a Marta costumava ter.

Pretérito mais que perfeito

O pretérito mais que perfeito indica uma ação passada que aconteceu anteriormente a uma outra ação também no passado. Ficou confuso? Então aí vai um exemplo para que você entenda melhor:

  • “Marta driblou a jogadora que Formiga derrubara momentos antes.” Neste caso, há dois tempos passados em uma mesma sentença: “driblou” (pretérito perfeito) e “derrubara” (pretérito mais que perfeito). A desinência que indica o verbo no passado mais que perfeito é: -era.

3. Futuro

O futuro vai indicar fatos que ainda vão acontecer em relação ao momento da fala. Esse tempo pode acontecer de duas diferentes maneiras. Confira-as a seguir:

Futuro do presente

O futuro do presente é um tempo bastante tranquilo de entender e vai indicar que algo vai acontecer em relação ao tempo presente. Veja um exemplo:

  • “Cristiane chutará para o gol quando Debinha conseguir roubar e passar a bola.” Neste caso, a desinência -ará indica que o verbo “chutar” está conjugado no futuro do presente e na primeira pessoa do singular (ela).

Futuro do pretérito

Já o futuro do pretérito vai indicar o futuro de algo que já aconteceu no passado. Veja um exemplo para entender melhor:

  • “Cristiane marcaria o gol, caso a goleira do outro time não fosse tão boa.” A desinência que representa que indica que o verbo “marcar” está no futuro do pretérito é -ria e ainda que o verbo está conjugado na terceira pessoa do singular (ela).

Qual a relação entre modo e o tempo verbal?

Bom, o tempo verbal está diretamente atrelado ao modo verbal, já que cada modo verbal vai depender dos tempos para indicar a intenção do falante.

Existe dentro do português 3 modos verbais: Indicativo, Subjuntivo e Imperativo e cada um desses modos vai indicar uma intenção diferente.

O indicativo vai ser usado quando se quer afirmar algo com certeza; o subjuntivo quando se quer apresentar hipóteses, dúvidas e desejo, já o imperativo vai ser utilizado quando se quer fazer um pedido de maneira mais incisiva ou mesmo dar uma ordem.

E para que todos esses modos tenham suas finalidades atendidas, eles lançarão mão dos tempos verbais. 

Fácil de entender, não é mesmo?

Acho que você já percebeu que o tempo verbal tem tudo a ver com o modo verbal. Bom, se você quiser saber mais sobre os diferentes modos verbais, basta ler nosso artigo sobre o assunto, lá a gente te mostra tudo sobre o indicativo, subjuntivo e imperativo! Não deixe de conferir, ein?

Banner para a planilha gratuita de plano de estudos para o Enem com link para: https://conteudo.imaginie.com.br/plano-estudos-para-enem?utm_source=blog-post&utm_medium=banner&utm_campaign=material-rico

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

4 × três =

Posts relacionados

[Ebook]

7 dicas para dar um gás nos estudos e aprender mais rápido

Está se preparando para o Enem e demais vestibulares e quer saber como aprender mais rápido? Então este ebook foi feito para você. Nele você encontra 7 dicas quentes para dar um gás nos estudos!

[Ebook]

Melhorando o seu Repertório Sociocultural

Quer melhorar o seu repertório sociocultural, mas não tem ideia de como fazer isso? Então este ebook foi feito para você! Nele você vai encontrar várias fontes para enriquecer sua redação!
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

Imaginie para todos: democratizando o ensino de redação no Brasil

Se você é um aluno de escola pública, agora pode estudar para o Enem de graça com a Imaginie. Conheça melhor o projeto Imaginie para todos!

Calendário do vestibular 2021: Confira as datas dos principais processos

Ficou confuso na hora de pesquisar sobre os vestibulares que quer fazer? Teve dificuldade para encontrar as informações? Achou tudo muito desorganizado? Então este calendário é para você!

[Infográfico gratuito]

O que cai
em cada disciplina do Enem?

Você está perdidinho sobre o que estudar para o Enem? Saiba quais são as matérias mais cobradas em cada disciplina neste infográfico gratuito que preparamos para você!

Mapa mental grátis

Decorar as regras de acentuação gráfica não é uma tarefa fácil, certo? Mas ela se torna um pouco mais simples com um mapa mental!

Plano de estudos para o Enem 2020

Quer um guia para se preparar para o Enem 2020? Baixe o nosso plano de estudos gratuitamente aqui!

Mapa mental grátis

Decorar as regras de acentuação gráfica não é uma tarefa fácil, certo? Mas ela se torna um pouco mais simples com um mapa mental!

Folha de redação guiada: produza um texto nota 1000!

Criamos esse modelo de redação guiada com dicas para você acertar na hora de fazer a sua própria produção textual para o Enem 2020!

Como ter uma rotina de estudos produtiva?

Aprenda técnicas para aprender mais em menos tempo!

Faça seu cadastro para receber nossa Newsletter