Como fazer uma redação dissertativa-argumentativa: imagem de uma mesa com um papel em cima e alguém escrevendo nele.

Entenda como fazer uma redação dissertativa-argumentativa

Ana Massêo Dicas de Redação 0 Comments

Na hora de produzir um texto, principalmente para vestibulares ou processos seletivos, é muito importante que você fique atento ao gênero textual exigido pela prova. Pode ser um texto descritivo, expositivo, injuntivo, entre diversos outros. 

Mas, pensando na maioria dos vestibulares, incluindo o Enem, o tipo textual cobrado é o dissertativo-argumentativo. Por isso, é muito importante que você entenda as características desse texto, evitando perder pontos à toa em alguma das competências de avaliação da redação. 

Então, pensando nisso, no artigo de hoje vamos te explicar o que é e como fazer uma redação dissertativa-argumentativa. Vamos lá?

O que é a redação dissertativa-argumentativa?

A redação dissertativa-argumentativa é um gênero textual que consiste na defesa de uma tese por meio de argumentos e explicações. Esse texto debate assuntos relevantes e tem como objetivo formar opinião ou convencer o leitor sobre algo.

Para simplificar, as três características básicas de uma redação desse gênero são:

  • apresentação do ponto de vista;
  • discussão dos argumentos;
  • análise crítica do texto.

Mas talvez você esteja se perguntando: como isso funciona na prática?

Se pegarmos o tema da redação Enem 2018 “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”, o estudante deveria, através de dados, exemplos, fatos históricos, etc, discutir sobre essa manipulação de dados e tentar convencer o leitor, com argumentos sólidos, sobre o seu posicionamento em relação a isso. 

Afinal de contas, você não estará presente quando o corretor for avaliar a sua redação. Por isso, é necessário que apenas através do texto você consiga transmitir todas as informações necessárias para que ele entenda o seu ponto de vista e seja convencido. 

Qual é a estrutura da redação dissertativa-argumentativa?

Bom, agora que já sabemos o que é e a importância de se ter um posicionamento bem definido na redação dissertativa-argumentativa, vamos entender uma das suas principais características: a estrutura, que é dividida em introdução, desenvolvimento e conclusão

1. Introdução

Como o próprio nome diz, a introdução é o parágrafo que introduz o seu texto. Ou seja, é por ela que o leitor inicia a leitura e, logo de cara, percebe se o texto é interessante o bastante para continuar lendo. 

No caso do Enem, o corretor não tem a opção de deixar o seu texto de lado. Mas, pensando na quantidade de textos similares que ele precisa ler em pouco tempo, chamar a sua atenção e prendê-lo à leitura do seu texto com certeza te garantirá alguns pontinhos a mais, certo?

Por isso, busque citações, frases de efeito, definições, dados ou fatos históricos que contextualizam o tema abordado e iniciem bem a sua redação. 

Fora isso, ao longo do parágrafo você deve mostrar qual é o seu ponto de vista, ou melhor, qual será a tese defendida por você nas próximas etapas. 

2. Desenvolvimento

Os próximos dois ou três parágrafos da sua redação dissertativa-argumentativa devem desenvolver a sua tese. Ou seja, é neles que você apresentará os fatos, dados, exemplos, etc. que comprovarão que a sua tese é válida.

Além disso, é importante lembrar que cada parágrafo precisa ter a sua própria introdução, desenvolvimento e conclusão. Então, comece apresentando o tópico frasal, desenvolva ele ao longo do parágrafo e, por fim, conclua mostrando a que fim esses argumentos foram apresentados. 

E cuidado: não invente dados falsos para dar suporte aos seus argumentos. Apesar de ser muito difícil lembrar tudo sobre todos os assuntos, você pode usar dados aproximados ou retirar informações dos textos motivadores, mas sem copiar

3. Conclusão

Por ser a parte final do texto, muita gente esquece de se dedicar a ela. Mas lembre-se que a redação dissertativa-argumentativa está debatendo um tema que, muitas vez, precisa de solução. 

Então, tenha em mente que é nesse parágrafo que você apresentará essa proposta de intervenção. Por ser o último, ele precisará conectar todas as suas ideias e fechar o seu texto “com chave de ouro”, mostrando o resultado do que foi elaborado do longo dele.

Além disso, não adianta nada começar um texto com uma frase incrível e terminá-lo de um jeito sem graça. É importante lembrar que a conclusão encerra o seu texto e deixará a última impressão para quem lê. 

Será muito mais fácil alcançar a nota 1000 se o corretor ficar impressionado ao final do seu texto, não é mesmo? 

Como fazer uma redação dissertativa-argumentativa?

Apesar de não existir uma fórmula mágica para produzir um texto, é importante seguir algumas etapas fundamentais de como fazer uma redação dissertativa-argumentativa. Veja a seguir:

Gif do gênio da lâmpada, do filme Aladim, mexendo as mãos com um pouco de mágica.

1. Entenda o problema

Para começar, é importante entender qual é o problema que será abordado em seu texto. Por exemplo, se o tema for “Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil”, você deve compreender que há uma intolerância em relação à religião no Brasil e que ela deve ser combatida.

Para te ajudar, normalmente as provas de vestibulares, como o próprio Enem, apresentam alguns textos motivadores com informações que validam a existência desse problema.

2. Defina a sua opinião

Depois de ler os textos, é hora de formular a sua opinião e definir qual será a tese defendida por você ao longo da sua redação dissertativa-argumentativa. 

Então, usando o mesmo exemplo de tema anterior, você pode defender que é necessário criar medidas que resolvam essa intolerância ou, até mesmo, pode defender que não há formas de resolver a intolerância religiosa.

Independente do seu ponto de vista, é importante que você deixe claro o seu posicionamento e o estabeleça com base nos argumentos que utilizará para convencer o leitor sobre o seu ponto de vista.

3. Organize os seus argumentos

Como já falamos no post relacionado ao esqueleto para produção de redação, é extremamente necessário que você organize seus argumentos e, antes de escrever a redação dissertativa-argumentativa, enumere todas as suas ideias sobre o tema proposto. 

É dessa forma que você conseguirá filtrar o seu melhor repertório sociocultural para utilizar na redação, além de já conseguir estruturá-la em introdução, desenvolvimento e conclusão. 

Fazendo isso, quem tinha dúvidas sobre como fazer uma redação dissertativa-argumentativa vai reparar que fica muito mais fácil começar a produção do texto.

4. Esboce sua conclusão

Por ser o parágrafo final do seu texto, como já explicamos na estrutura da redação dissertativa-argumentativa, é nele que você apresentará a síntese da sua discussão, apresentando soluções para os problemas e retomando a tese principal.

Então, para fazer uma redação dissertativa-argumentativa é muito importante que você, após organizar os seus argumentos, esboce a sua conclusão, evitando qualquer “ponta solta” ao fim da sua produção.

Quais as especificidades do Enem para a redação dissertativa-argumentativa?

Já que o Enem é uma das principais ferramentas para a entrada em universidades do país, não podemos deixar de falar sobre algumas especificidades da redação dissertativa-argumentativa dentro desse exame. Confira elas:

  • Máximo de trinta linhas e mínimo de oito linhas para a produção textual;
  • Exige propostas de intervenção detalhadas para o tema;
  • Não é necessário título na redação;
  • Aborda problemas da atualidade e, geralmente, ligados ao Brasil;
  • É avaliada segundo cinco competências, valendo 200 pontos cada. 

Ou seja, além das características comuns a qualquer redação dissertativa-argumentativa, você também deve ficar ligado àquelas exigidas pelo Enem se o seu intuito for ingressar em alguma faculdade através dessa prova. 

Gif de uma mulher apontando para a cabeça e falando “Pay attention”.

Como a redação dissertativa-argumentativa funciona na prática?

Por fim, para não restar nenhuma dúvida sobre como fazer uma redação dissertativa-argumentativa, vamos analisar a redação nota 1000, do aluno Matheus Rossi, sobre o tema “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”. Confira!

Então, para começar, ele é introduzido da seguinte forma:

“Segundo o pensamento de Claude Lévi-Strauss, a interpretação adequada do coletivo ocorre por meio do entendimento das forças que estruturam a sociedade, como os eventos históricos e as relações sociais. Esse panorama auxilia na análise da questão dos desafios para a formação educacional dos surdos no Brasil, visto que a comunidade, historicamente, marginaliza as minorias, o que promove a falta de apoio da população e do Estado para com esse deficiente auditivo, dificultando a sua participação plena no corpo social e no cenário educativo. Diante dessa perspectiva, cabe avaliar os fatores que favorecem esse quadro, além de o papel das escolas na inserção desse sujeito.

Logo na primeira frase já foi apresentado uma citação de uma pessoa famosa dentro do contexto do tema, dando maior credibilidade à opinião do autor. Logo depois de contextualizar a existência desses desafios, ele finaliza o parágrafo falando qual ponto de vista defenderá ao longo do seu texto. 

Vamos para o próximo parágrafo: 

“Em primeiro plano, evidencia-se que a coletividade brasileira é estruturada por um modelo excludente imposto pelos grupos dominantes, no qual o indivíduo que não atende aos requisitos estabelecidos, branco e abastado, sofre uma periferização social. Assim, ao analisar a sociedade pela visão de Lévi-Strauss, nota-se que tal deficiente não é valorizado de forma plena, pois as suas necessidades escolares e a sua inclusão social são tidas como uma obrigação pessoal, sendo que esses deveres, na realidade, são coletivos e estatais. Por conseguinte, a formação educacional dos surdos é prejudicada pela negligência social, de modo que as escolas e os profissionais não estão capacitados adequadamente para oferecer o ensino em Libras e os demais auxílios necessários, devido a sua exclusão, já que não se enquadra no modelo social imposto.”

Começando a parte de desenvolvimento, o autor já utiliza um argumento de consenso em sua primeira frase. E o que isso quer dizer? Ele afirma algo que não precisa de um embasamento teórico, pois é um consenso global, todos já sabem disso.  

Logo em seguida, ele retoma a citação que utilizou em sua introdução para desenvolver seu argumento em cima disso. E, para terminar, ele conclui o seu ponto de vista, dando um fechamento para o parágrafo.

Então, vamos agora para o terceiro parágrafo do texto, continuação do desenvolvimento:

“Outro ponto relevante, nessa temática, é o conceito de modernidade líquida de Zygmunt Bauman, que explica a queda das atitudes éticas pela fluidez dos valores, a fim de atender aos interesses pessoais, aumentando o individualismo. Desse modo, o sujeito, ao estar imersos nesse panorama líquido, acaba por perpetuar a exclusão e a dificuldade de inserção educacional dos surdos, por causa da redução do olhar sobre o bem-estar dos menos favorecidos. Em vista disso, os desafios para a formação escolar de tais deficientes auditivos estão presentes na estruturação desigual e opressora da coletividade, bem como em seu viés individualista, diminuindo as oportunidades sociais e educativas dessa minoria.”

Mais uma vez o autor utiliza um exemplo muito conhecido para trazer força ao seu argumento. Ao citar o livro de Zygmunt Bauman, ele não só está demonstrando conhecimento sobre o assunto, como também está desenvolvendo seu ponto de vista em cima de um argumento de autoridade. 

Além disso, ele explica o que quer dizer com essa citação e conclui seu parágrafo de forma bem estruturada.

Para finalizar, temos o parágrafo de conclusão:

“Logo, medidas públicas são necessárias para alterar esse cenário. É fundamental, portanto, a criação de oficinas educativas, pelas prefeituras, visando à elucidação das massas sobre a marginalização da educação dos surdos, por meio de palestras de sociólogos que orientem a inserção social e escolar desses sujeitos. Ademais, é vital a capacitação dos professores e dos pedagogos, pelo Ministério da Educação, com o fito de instruir sobre as necessidades de tal grupo, como o ensino em Libras, utilizando cursos e métodos para acolher esses deficientes e incentivar a sua continuidade nas escolas, a fim de elevar a visualização dos surdos como membros do corpo social. A partir dessas ações, espera-se promover uma melhora das condições educacionais e sociais desse grupo.”

Aqui, ele já inicia dizendo que medidas devem ser tomadas para, em seguida, apresentar suas propostas. Ele elabora mais de uma proposta, tomando cuidado para explicar como colocá-las em práticas de forma viável e possível. E, para finalizar o seu texto, conclui seu raciocínio a favor do seu ponto de vista. 

Ou seja, esse texto apresenta todas as características necessárias para ser argumentativo-dissertativo. Ele apresenta o ponto de vista do autor e discute seus argumentos. Fora isso, usa nomes muito conhecidos para dar credibilidade à sua defesa, além de fazer um uso exemplar dos elementos da língua portuguesa.

Bem estruturado, não fere os direitos humanos, apresenta argumentos sólidos e conecta todas suas ideias do início ao fim. Seguindo a forma como uma redação dissertativa-argumentativa tem que ser para alcançar a nota 1000!

Pronto, agora que você já sabe como fazer uma redação dissertativa-argumentativa e já tem um exemplo para inspirar as suas ideias, é hora de praticar a sua produção textual para evitar erros na hora da prova. E, para não restar nenhuma dúvida, aproveite o nosso e-book gratuito com 10 passos para escrever uma redação nota mil!

Banner de divulgação do ebook gratuito “10 passos para escrever uma redação nota mil” para quem quer saber como estudar para o Enem. O banner direciona para o link de cadastro a seguir: https://conteudo.imaginie.com.br/ebook-10-passos- para-nota-1000]

 

Vamos debater sobre?

Deixe uma resposta